Porque estão a prazo

Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir, Winston Churchill
A política é a arte de procurar problemas, encontrá-los em todos os lados, diagnosticá-los incorrectamente e aplicar as piores soluções, Groucho Marx 
Nunca como agora, depois de se ouvir o debate do programa do XIII Governo Regional da Madeira e as intervenções da caranguejola psd/”cedezinho” , se teve tanto a certeza de que este é um governo a prazo. Não pelo que foi dito, formalmente. Mas para um observador atento, pelo que foi deixado entrever nas sucessivas intervenções e posturas da futura ex-maioria.
A política é constituída por homens sem ideais e sem grandeza, Albert Camus 
MA é um político medíocre, apesar de se achar o contrário.. É medíocre e nem aos joelhos de AJJ chega. Para político, sofrível digamos, falta-lhe no mínimo duas coisas: ser impoluto e ter raciocínio. Para político médio, acrescentaria saber fazer, não ter medo e ser confiante. Para político grande, visão, consciência, e convicção no que diz e para um excelente político, empatia com o povo, independência nas decisões, saber estar, criar e ser transparente.

Nenhuma das qualidades que MA possui. É medíocre, foi/é traidor, não possui convicções, apenas interesses momentâneos, nunca fez nada excepto crescer na politica ( como a maioria dos nossos políticos ), nada criou, apenas desbarata(ou) e não tem mérito.

Como empresário foi uma nulidade e teve dívidas escondidas na segurança social. Usou, abusou dos salários e ordenados baixos e é considerado dos políticos mais ricos do país. Apregoa “olhem o que digo e não o que faço”.

Como Presidente de Governo Regional, foi/é um zero. Até Porto Santo, aquele pedaço de terra pequeno, que estava a seu cargo, perdeu para o PS-M. Por isso, nem para presidente de junta serviria. 

Portanto, naturalmente MA sabe que nada vale fora do regime que julga dirigir e daí os seus medos, que ressaltam nos discursos que sucessivamente faz, com o enfoque na durabilidade desta Caranguejola a 4 anos. Discurso após discurso, ele fala nisto. Como se por tanto dizer, alguma confiança renasça. Talvez, talvez tenha a sorte que o “cedezinho” com medo de desaparecer ( para já desapareceu quer em termos eleitorais, como de partido autónomo ) o mantenha, para poder, este "cedezinho" ao menos sobreviver por 4 anos (depois pufff desaparece ), ou tornar-se o apêndice do psd-M como é o PEV para o Partido Comunista ( e também desaparece ).

A outra indicação de que estão a prazo, é a postura que têm perante Lisboa, mesmo com um discurso de rufia. Fazem-se fortes, mas afinal são fracos, fraquíssimos. Nas entrelinhas, percebe-se os sucessivos pedidos de ajuda monetária que fazem e apelam para Costa. Desde poderem votar o OE, até pedirem que o governo de Lisboa participe mais nos programas de saúde e educação da Madeira (lá se vai a autonomia )
A região não tem dinheiro, aliás procura-o na banca para poder  fazer face aos compromissos que o GR tem até final do ano. no mínimo pagar juros da divida, amortizá-la e pagar a alguns fornecedores ( os de sempre ). Agora até os parceiros os colocam em tribunal, veja-se agora  com a Quadrantes. Na semana passada não tinham fundos para pagar ordenados.
Em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades, Alexis Tocqueville
Também estão a prazo porque as ideias já se foram. Como disse no meu artigo passado este programa de governo é em cerca de 90% tudo igual ao do anterior. O que veio de novo, foi o discurso da “economia azul”. E esse muito retirado a ideias do PS-M ( certo que o antes CDS-M e agora “cedezinho” tinha também ideias sobre o assunto ).

Vida Nova e.......
Ano novo, vida nova, costumamos dizer a 1 de Janeiro de qualquer ano. Nesta caranguejola madeirense, possivelmente os participantes devem querer dizer e fazer o mesmo.

Mas a questão que se põe é esta: se nos últimos 4 anos nada fizeram, excepto gastos supérfluos eleitorais, medidas ad-hoc e aconchego aos subsídio-dependentes e monopolistas do regime, farão diferente agora?
Por ultimo e para Miguel Albuquerque e Pedro Calado, onde está a transparência que dizem ter, exigem à República, quando um como empresário e chefe de governo tem/teve ligações perigosas com o Grupo Pestana e outro foi empregado do Grupo AFA e ambos decidem em sede de governo sobre situações destes Grupos. Por muito menos em Lisboa secretários de estado foram demitidos ou demitiram-se. Ou um ministro demitiu-se ( no governo de Passos Coelho ).
A política é a condução dos negócios públicos para proveito dos particulares, Ambrose Bierce
É por isso que a policia olha para os diferentes negócios, no mínimo  nebulosos da RAM e com os caras de sempre e os monopólios de costume e o TC olha, aponta e condena sempre os mesmos dislates na Governação madeirense ?
  
Transparência exige-se...ou demissão, porque Governo novo…. Vida nova.

Breves observações
Deputalhada
Afinal JPM foi-se mas a “deputalhada” do psd-M ficou. Foi penoso ver Melim, Rodrigues, Prada, Raimitos e companhia a desrespeitarem os colegas dos outros partidos. Parecia que estavam no recreio e o novel presidente da ALRM fechou os olhos, obviamente, porque não existem “refeições grátis”, permitindo que a ALRM que preside, tenha sido desrespeitada. Será o puto mais velho? Ou apenas acha que preside a uma feira ?
Quando um homem assume uma função pública, deve considerar-se propriedade do público, Thomas Jefferson
Pedro Calado …inventa
Disse que Lisboa deve 220 milhões aos madeirenses e que estes são descriminados por Lisboa em relação aos Açores. Em relação aos juros do PAEF, foi ele e Albuquerque que o assinaram, não ? Portanto assinam, acordam e depois queixam-se ? 70 milhões em sobretaxas de IRS e 30,5 milhões em apoios a incêndios ….. Pedro Calado devia falar menos e mostrar mais. Explique como chegou aqueles resultados. Em papel e com factos, não em bocas.

Pedro Calado ….inventa II
A divida da RAM vai ficar em 5,1 mil milhões no final deste ano. De novo Calado fala, mas nada mostra.Que demonstre o que diz, porque isso é uma falsidade. Calado ás vezes devia ser calado e “ouvir muito, falar pouco e escrever nada”. Sim ele escreve mesmo muito pouco e naturalmente nem sequer sabe qual foi o orçamento que aprovou no ano passado. Porque para Calado, numa folha de excel, tudo desaparece e tudo aparece. um triângulo de Bermudas das contas da RAM.
A vida é uma contabilidade, uns com crédito outros com débito. Mas ninguém vai embora sem pagar a dívida, Augusto Heitenreiter
Albuquerque & Calado
Ambos exigem o cumprir das promessas de Costa, nomeadamente os 150 milhões para o novo hospital e garantem já terem conseguido ou o GR, a parte respeitante ao financiamento deste “elefante branco”. Mas como sempre, palavras leva-as ao vento. Onde está esse financiamento ? É de boca ou em espécie e de que espécie ? E claro, já sabemos quem vai “ganhar” a obra. Afinal, o mundo é mesmo muito pequeno.
  
Lopes da Fonseca
Tenho pena, muita pena ao que o CDS-M chegou. Já não valem um chavo e a criação, está pior que o criador.  Penso que esta pessoa, nem à espécie de “homo erectus” chega. Ficou-se pela dos agachados, o “homo habilis” e ambas estão extintas. Como vai ser com este ( ou estes ).

The Blue Brothers e Jailhouse Rock. Quantos são e quantos deveriam lá estar? Have a fun. 

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.