Miguel de Sousa....ahahahahh...diz que o psd-M HERDOU crise financeira..ahahahaha ...santinho

 

O preguiçoso inventou a desculpa, o inteligente o meio, o sábio a paciência, anónimo

O Dr Miguel de Sousa, no seu artigo no DN-M de 27 de Janeiro de 2021, volta ao mesmo de sempre . Que a lei das finanças regionais (LFR), proposta e defendida pelo psd-M e depois votada na generalidade na AR pelos partidos do “arco do poder”, em Setembro de 2013, inclusive com os votos dos deputados “regionais” do PSD-M e PS-M na AR, não serve.

Diz agora o Dr Miguel de Sousa da atual lei, exatamente o mesmo que dizia antes desta ter sido votada e aprovada, primeiro na ALRM e depois na AR: que é um empecilho para o desenvolvimento da Madeira.

Parece que para o Dr. Miguel de Sousa, a próxima lei será sempre a melhor, exatamente até ao dia seguinte da sua aprovação no parlamento. Depois…venha outra.

Mas o Dr Miguel de Sousa diz mais. Na sua ânsia de defesa de uma nova LFR, mais uma vez defende uma “frente ampla” de luta contra o estado central, que desta vez é liderado pelo Partido Socialista ( em 2013 era uma coligação PSD+CDS ). E esta “frente ampla” proposta, é mais uma vez, a “frente ampla” do antigamente, o bloco central regional, PS-M mais PSD-M, sempre aconchegado na Madeira pelo psd-M, o regime e por todos os que pretendem manter o regime.

Por certo equivocando-se, o Dr. Miguel de Sousa no seu texto diz isto “O PSD(M) deixou estes temas financeiros para segundo plano da sua política quotidiana. Recusou algumas iniciativas internas para fazer da autonomia financeira a primeira ambição desta nova geração política. Não teve interesse nesta batalha. Vem gerindo com resiliência a crise financeira que herdou”.  

A metade da verdade é quase sempre uma grande mentira, Benjamim Franklin

Em resumo: a lei das finanças regionais é boa, até ser votada; a frente ampla contra Lisboa é o bloco central regional, PS-M + PSD-M e desta feita é o líder regional socialista que levanta a questão; o psd-M “adormeceu” neste assunto; e não fez mais, porque pensou a longo prazo, contando com esta nova geração política. E em "nova geração política" só posso pensar no Dr. Paulo Cafofo, porque o Dr. Miguel Albuquerque é o “matusalém” da política atual na Madeira. Como é difícil entender que o psd-M, o único partido que governou a Madeira, HERDA, não CRIA, a crise financeira !!!!!! onde desesperamos ( que criou nestes quase 50 anos consecutivos de más práticas e más opções de desenvolvimento regional, económicas e financeiras ).

O Dr Miguel de Sousa, parece não ser deste tempo. O Dr. Miguel de Sousa esqueceu-se dos tempos em que pertenceu ao GR, foi vice-presidente, foi deputado à ALRM, defendeu ideias terceiro-mundistas (seguiram o Prof Cavaco Silva no continente ) para o desenvolvimento da RAM, criando efémera riqueza e uma dívida colossal ( a maior regional da Europa por habitante ).

Mesmo a criação da zona franca da Madeira (ZFM), uma ideia interessante, foi desvirtuada, nunca fazendo o que era o seu propósito inicial, criar postos de trabalho, desenvolver produtivamente a RAM, incentivar o investimento estrangeiro, AQUI ...não "onde Judas perdeu as botas", através de um regime fiscal favorável. 

Zonas de baixa tributação, pretendem sobretudo, o desenvolvimento económico, social e financeiro dos locais onde estão implementadas, coisa que nunca foi conseguido na Madeira, porque os pressupostos de raiz, raramente foram observados pelas empresas localizadas na ZFM, com o beneplácito da empresa que devia fiscalizar tal: a SDM. A tal empresa que o Dr Miguel de Sousa achou bem ter como acionista maioritário o grupo Pestana, a tal venda que está a ser olhada como suspeita pelas autoridades e para a qual o Dr Miguel Albuquerque, tarde ou cedo, tem de dar explicações, mais que não seja na policia e quero crer no tribunal. Uma venda feita contra o que a UE determinava e como tal desfeita agora. A tal venda ao Pestana, que coincidiu, e à coisas do Diabo, com a venda do roseiral falido de Albuquerque ao Pestana.

O Dr. Miguel de Sousa, naquele artigo, defende o mau trabalhador, aquela pessoa que culpa sempre as ferramentas, o tempo, os animais, o terreno, os “bicos de papagaio”..…por aquilo que não conseguiu fazer, não quer fazer, tem preguiça de fazer ou não sabe fazer. Aquele trabalhador que não faz, mas também não deixa fazer. Mas não está sozinho. Muita gente na RAM, mesmo do PS-M, pensa assim e como pensa assim, o tal bloco central é formado e a situação continua.

O Dr. Miguel de Sousa em vez de criticar o seu partido por uma gestão, diria danosa,  de quase 50 anos, prefere, primeiro achar que o psd-M HERDOU uma dívida, depois culpar a lei das finanças regionais, pelos 50 anos de um governo amadorístico, sem sentido, fútil, de opções económicas e financeiras danosas e sem sentido. Um governo de maus trabalhadores, de preguiçosos, de gente intelectualmente fraca, sem sentido de responsabilidade, de dever, de estado e sem vergonha. 

O nosso azar, na RAM, é que o que defende o Dr Miguel de Sousa em relação à LFR, é igual ao que defende este governo noutro conjunto de situações, por exemplo, o subsídio de mobilidade. Proposto pelo psd-M, negociado com um governo central do PSD, que depois de aprovado…já não serve.

E isto, estas coisas, não são de agora, mas desde sempre. E pagam-se caro. Quando a cabeça não pensa, o corpo é que paga, diz o povo. E o povo é sábio.

Mas o Dr. Miguel de Sousa neste artigo vai ainda mais longe. Diz “ E negar a nossa vontade como Região, pode ter consequências imprevisíveis no contencioso entre Lisboa e Funchal”. Ora bem… faltava o espectro “flamista” , o espectro da independência.  

Sejamos claros Dr Miguel de Sousa. Fale abertamente da questão, a independência regional que muitos poucos, demasiados poucos, ameaçam, mas não querem. O Dr Miguel de Sousa, nesta questão não está sozinho, veja-se o deputado Lopes da Fonseca, Jaime Ramos, Rodrigues, Melim …., que gostam muito de falar nela, de insinuar…mas ficam-se por aí.

Se acredita na independência da Madeira, Dr. Miguel de Sousa, seja claro e peça-a. O senhor e outros tantos. Inclusive no bloco central madeirense. E dê-se a voz ao povo. Mas seja claro, não ameace, não insinue. Peça, vá e os poucos que pensam como o senhor, a jogo. Seja corajoso, não cobarde. Não seja poltrão, porque de poltrões não reza a história. 

A ficção é a verdade dentro da mentira, Stephen King


E sabe porque o senhor e outros apenas fazem isto? isto é, insinuar, ameaçar .. com a independência ? O separatismo ? Porque sabem que num referendo, mais de 80% dos madeirenses votariam não. E aí o Dr Miguel de Sousa e restantes “compagnons de route” deixariam de ter algo que dizer, algo para ameaçar Lisboa…e seriam os primeiros derrotados, numa guerra que o povo madeirense não quer e não pretende. Mais, se tivessem vergonha, coisa que muitos não têm, enterravam-se no buraco mais fundo da nossa ilha. Afinal, Dr Miguel de Sousa, são os senhores que criam artificialmente problemas, onde eles não existem, nem nunca existirão.

E os senhores nunca quererão estar numa região, onde o dinheiro se consegue com o fruto de trabalho produtivo, os ordenados pagos pela produtividade realizada, com dinheiro produzido por quem realmente trabalha e com mérito, porque para os senhores a única coisa que pretendem, que fazem é gerir, “trabalhar” com o dinheiro dos outros e para muitos poucos: aqueles que vos dão trabalho até à próxima oportunidade de entrarem no GR

Os senhores estão a fazer, fizeram do madeirense aos olhos de muito portugueses, os "chulos" de Portugal. No continente e Açores, quando se fala na Madeira é logo "lá vêm estes a pedir mais dinheiro". E não admito que por causa de si e dos seus amigos, me digam que sou "chulo". Já se esqueceu por certo porque tem memória selectiva, mas AJJ é um patusco para todos os portugueses, o "gajo para os copos" mas naquela sondagem, julgo ter sido do Expresso, ninguém lhe confiaria o seu dinheiro, mesmo aqui na Madeira. A nossa imagem de marca é a ilha da "chulice" ...um título que os senhores fizeram tudo para merecer.

Fazem-me os senhores lembrar, tenho de me auxiliar das minhas memórias, um colega meu, o Tó, que em Viseu era nada, a tudo tinha direito e dado pela família, mas que se fez homem quando, força das circunstâncias, foi obrigado a emigrar para a Suíça e ao fim de quase 15 anos …veio de lá empresário com sucesso ( já agora, obriga os filhos a estudar e as mesadas são…pagas se os putos merecerem ). Os senhores nunca trabalharam, nem sabem trabalhar. Tiveram a sorte de terem um partido, que criou um regime onde o mérito nunca é reconhecido. Apenas o cartão de "sócio". Aliás, o Dr Miguel de Sousa, como antigo presidente daquilo que é a jsd-M, já reparou as tristes figuras que aquilo produziu como presidentes ? Diga lá uma que tivesse mérito no trabalho real produzido, não no trabalho político de resto nada.

Nisto, o Dr. Miguel de Sousa, Lopes da Fonseca, Melins, Pradas, Jaiminhos e outros que tais ….. parecem o meu Gaston, um grand danois….que ladra muito para quem é visita de casa, mas depois da portinhola aberta…. Ou atrás de mim com a cauda entre as patas ou depois de um mimo, é amigo de toda a gente. 

Afinal…parece que o problema da Madeira resume-se à falta de mimos e a uma voz firme de liderança, no trabalho de um conjunto de maus trabalhadores. Sem desculpas. Também um raspanete grande de quem até agora, tem sempre assobiado para o lado: o governo da república e os sucessivos presidentes da república. Porque eles, e aqui concordo consigo, têm olhado sempre esta ilha e quem a governa, como o filho rebelde que em vez de levar um sopapo e ser colocado na ordem…vai recebendo mais uns trocos pelo seu desmazelo.

Trabalhem, não culpem. Porque fazem pela vossa vida, os senhores estão a dar cabo da nossa. Afinal ...os senhores são apenas preguiçosos e sopapos devidos merecem. Têm é tido sorte...dividir para reinar.

Bruno Mars - The Lazy Song ( para os preguiçosos )

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.