Depois do Covid-19 será a xenofobia a "matar"

O que seria da Madeira sem 30 anos com a União Europeia a jorrar dinheiro?

E quem o geriu, à vontade, para a situação actual?

Mote:

"Uma finlandesa residente na Madeira, nos últimos 30 anos, foi insultada e cuspida num supermercado do Funchal, na semana passada."

Foi um acto a par do que circula pelas redes sociais.

Vou contar um pormenor, de outros insultuosos, para que sirva de exemplo e resultado. Os holandeses são muito pragmáticos, até fere, o primordial é que funcione. Quando Erdoğan fez confusão, por altura das eleições na Turquia, em Rotterdam, os brandos costumes responderam com uma carga policial impensável. Depois, instituíram uma lei que anulou a vantagem de alguns elementos com duas nacionalidades naquele país, ou seja, deixou de haver o reconhecimento de dois passaportes por cidadão, o melhor de dois mundos segundo a conveniência, teriam de optar pela nacionalidade holandesa ou outra. É evidente que a situação gerou consciência e o resultado prático foi que a maioria preferiu, quando em condições de optar, pela segurança e uma qualidade de vida com passaporte holandês.

Com isto distinguiram claramente quem é estrangeiro e quem é nacional, não por perseguição xenófoba mas para encaixá-los num dos lados, ou sim ou sopas sem jogo. Afinal, onde viviam os turcos para fazer confusões políticas da Turquia nos Países Baixos? O madeirense está politicamente envenenado e nem sabe, padece dos mesmos sintomas de alguns turcos e por vezes é cata-vento conforme a conveniência.

Amsterdam é uma capital pequena, 850.000, se comparada com outras, mas fervilham 176 nacionalidades. A sã convivência só resulta se aderirem à mesma matriz que, naturalmente, são as regras holandesas onde a xenofobia é incomportável. Tem corrido muito bem a integração ao longo de décadas.

A Madeira tem turismo há 200 anos mas "eles" passam ao lado num vai e vem. Por modelo económico ganancioso de meia dúzia, ninguém se mete aqui com negócios vindos da Europa, nivelam por um sortido de indulgentes mafiosos que dão a imagem que o CINM e o GR têm. A idoneidade atrai negócios sãos, é um valor inestimável. Só o clima fixa estrangeiros e faz relacionar a Madeira com a Europa a outro nível. Esta xenofobia quando a Madeira tem uma excepção nos Vistos Gold é um veneno.

Se chegarem madeirenses com estes instintos xenófobos lá em cima, Países Baixos, eles arranjam maneira de devolver à procedência, mesmo com a livre circulação porque não cabem na matriz. É como actuar sobre um foco infeccioso tipo Covid-19 ... isolamento social. Garanto-vos. O estigma já existe, só ficaria institucionalizado.

Eu não sei bem este "povo superior" o que tem na cabeça, vão para uma crise medonha, não produzem nada, não têm dinheiro nem riquezas naturais, estão endividados até à ponta dos cabelos, basta falhar um navio e ficam com as calças na mão mas mesmo assim dão-se ao luxo de ofender toda gente. O vírus não é maldade dos povos, é por ventura uma reacção natural perante à falta de respeito pela natureza que gera alterações, desequilíbrios e mutações.

Não adiram às sementes lançadas por fracos líderes. Não adiram às cortinas de fumo que escondem a realidade. Vão se dar muito mal, estão a ver e a reportar lá para fora. Os que "mandam agredir" ficam sempre bem, o mal só sobeja para os madeirenses com as dívidas e os "castigos". Pensem nos contribuintes europeus solidários que mandaram dinheiro cá para baixo, com a instrução de promover a construção de uma sociedade homogénea e quem geriu esse dinheiro para não se consubstanciar.

Eu não vim avisar, vim dizer que vai correr mal, está tudo a passar lá para fora, para a Europa e para o continente. Os líderes, com responsabilidades governativas, que não são exemplo e estão sempre a arranjar culpas nos outros, são promotores de falsas questões para esconder as fragilidades da governação e das condições em que estamos, sobretudo na Saúde. O que devem pensar os contribuintes europeus ao ver esta xenofobia na Madeira? São reincidentes depois do período dos luso-venezuelanos. Até com os seus!

Estamos num excelente momento para comprovar quem conta perante a exigência da crise. Quem é que de facto lidera, é solidário, manda e tem dinheiro. Quem se preparou, não esbanjou e tem uma política e instituições robustas para dar resposta.

Nota #1:
Os chineses na Madeira são pacíficos, colmatam necessidades a baixo custo mas, são muitos, e têm máfias. Por outro lado, com o modelo económico madeirense, sempre a concentrar a riqueza em tão poucos, Donos Disto Tudo, os chineses chegam aqui e compram a Madeira de uma assentada com um palito no canto da boca. Esta crise é excelente para isso. Recordem-se do Karma de Jardim em relação aos chineses. Baixem a bola porque somos minúsculos.

Nota #2
Qualquer dia o Povo Superior não sai da Madeira. Sem meios financeiros, sem continuidade territorial, sem transportes e se saírem ainda apanham uma sova lá fora. Parem com a xenofobia, não estão a ver para onde caminham?
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.