Uma saloiada de Pedros



A civilização moderna tem reduzido o número dos tolos, mas aumentado proporcionalmente o dos velhacos, Marquês de Maricá
saloio 

  1. Que ou quem é dos arredores de Lisboa, a norte do rio Tejo.
  2. Que ou quem trabalha ou vive no campo.
  3. Que ou quem é grosseiro, revela falta de educação, de civilidade ou de bom gosto =PAROLO, RÚSTICO.
  4. Que ou quem age de forma desonesta. = FINÓRIO, MANHOSO, VELHACO.
  5. Diz-se de uma qualidade de pão fabricado nos arredores de Lisboa.
(Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, 2008-2013)

Pedro: Significa "pedra", "rochedo" Com origem no nome grego Pétros, este a partir da palavra petra (uma tradução do aramaico Cephas), que significa literalmente "pedra, rochedo" ( Dicionário de nomes próprios )

Pedro, o saloio calado

Marmelada de banana
Bananada de goiaba
goiabada de marmelo ... saloiada de Pedros
Sítio onde todos ficamos amarelos.

O honorável Vice-Presidente do Governo Regional, Dr. Pedro Bettencourt Calado, escreveu no dia 17 Fevereiro, um artigo lúcido, cínico e hipócrita no DN. Foi a parte I. Deve estar por aí a aparecer a parte II, que presumo ser no mesmo tom. O texto mostra que o homem não é parolo, mas sim manhoso, finório. Sabe-a toda. Se foi velhaco ... penso que o tenha sido sobretudo e também, para os companheiros de “route” do GR e PSD-M e essencialmente para o seu “chefe nominal”, de nome Miguel Albuquerque. 

Tiro-lhe o chapéu pela coragem que teve, porque coloca em escrita e publicamente, o que o PSD-M e sucessivos Governos Regionais, nunca praticaram durante estes últimos 40 anos. Não lhe fugiu, atenção, a escrita para verdade, nada. Tem é muitíssima lata e um descaramento sem limites. E a sensação de tudo poder fazer, dizer e escrever. É saloio, em suma.

É intelectualmente desonesto neste artigo, porque preocupado com as eleições que se avizinham, sobretudo aquela que o poderá devolver e aos seus para trabalhos a que não estão habituados, refere que nestes meses vindouros, haverá muita “desinformação”, “tendência para deturpar a verdade”, “copos meio vazios”, “falar inverdades”, …… Não esquecendo que pede também “elevação”, “correção de análise”, “independência” e “sentido de estado”.

Acrescenta que a “gestão publica, coordenação politica, não se compadecem, nem devem ser feitos por detrás de selfies, fotografias e redes sociais”. “é vital o contacto humano…… ideias claras….”. Continua dizendo “deve-se conhecer o passado, para enfrentar desafios futuros”. E continua, continua, continua.......

Subscrevo inteiramente e plenamente estas palavras. Mas, reparem, Pedro Calado, escreve como um diletante, não pratica(ou) e nem faz intenções de praticar o que escreve. Ele apela, mas não diz que o vai fazer ( e os seus ). Tudo paz e amor. Pedro Caçado, desculpem, Calado foi apanhado. 

Mas atentem ao pormenor de ler nas entrelinhas. Neste seu artigo, atropela o chefe, MA, de que ele já não tem em grande conta, diga-se. È no mínimo hilariante quando escreve que “selfies, fotos, redes sociais” não devem contar. Isto quando o seu “ainda” chefe, usa e abusa daquilo, como alguém que usa e abusa de substâncias psicotrópicas. Fica-se viciado. Perde-se o contacto humano, que Pedro Calado pede. Pedro Calado pede também, “sentido de estado”, quando sabe que o seu ainda chefe, de sentido e orientação nada já tem e muito menos de estado. Vai boiando. Ele e o resto do GR que preside, Pede ideias claras e já sabemos que MA de claro, nada tem. Pedro Calado é deselegante para MA.

Sabe Pedro Calado, que a central de desinformação montada pelo GR e PSD-M usa e abusa dos meios de comunicação social ( RTP-M; JM; EM; grupos em redes sociais; perfis falsos naquelas; …. ) porque possui um conjunto de escribas e fauctores, prontos para branquear asneiras ( veja-se o ultimo Especial Informação na RTP-M, o jornalista e os três bonecos saídos do Muppet Show). Pedro Calado sabe como a intimação, a pressão, o medo, que o GR, PSD-M e empresas subsidio-dependentes, criam á população. Pedro Calado sabe que o GR e o PSD-M utilizam um conjunto de entidades, criadas e geridas para controle de consciências, de vontades e impor o medo de represálias, ao povo: casas do povo, cooperativas, clubes, IPSS´s,….. e ainda não cheguei á segurança social. 




Mas Pedro Calado, também fala em honestidade, em transparência no seu artigo. E aí, acreditem, fiquei estarrecido, surpreendido, estupidificado, mumificado. Não só pelo que refiro em cima, mas porque claramente, Pedro Calado, que quer tudo transparente, é o mesmo Pedro Calado, que omite, deturpa e de transparente..... nada. Népias. Uns poucos de exemplos:

1) Saúde. 4 dias depois deste seu artigo, a TVI mostra a desonestidade instalada e pelos vistos conhecida no hospital Nélio de Mendonça na Medicina Nuclear. No dia seguinte, Pedro Calado não se opõe a um comunicado do PSD-M assinado por um Prada desvairado. Não se opõe á intervenção de um Sec. Regional ameaçador, a tentar manter o logro, as trafulhices descaradas, cometidas naquele serviço e daquele hospital. Pior, para quem gosta de honestidade, transparência, realidade e elevação, Pedro Calado nada faz para impedir uma “putativa” comissão de inquérito parlamentar criada pelo PSD-M, que como sabe, tem como fim ultimo branquear, fazer deslizar no tempo e memória este caso de policia. Desafio-o a pedir a substituição desta comissão de “boys e miudagem”, por um inquérito público. Aberto a todos. Mostraria aí sim, a sua elevação e sentido de estado. Ou então, que chame o ministério público, mesmo o da Madeira. Mas não.

2) Sociedades de desenvolvimento. Desafio-o igualmente a explicar a necessidade de novo empréstimo ás sociedades de desenvolvimento. Explique o seu estado financeiro. Seja claro, honesto porque o povo precisa. Explique que sem aquela nova injeção de capital, as sociedades teriam de falir, estariam pertíssimo da insolvência. Porque é dinheiro para pagar juros e salários dos “boys”. Confesse que aquelas sociedades nada têm de seu, contrariamente ao que vem nos relatórios de gestão que apresentam. Diga que o pouco que têm de receitas, não pagam sequer os ordenados. E se possuem algum bem imóvel, esse, ou está todo penhorado ou não vale um cêntimo furado.

3) Empréstimo. Confesse que o empréstimo que o GR pediu e fundamental para manter a execução do Orçamento Regional nos níveis que pretendem, é nesta altura um falhanço. Diga a todos porquê e se faz favor, não venha com a estafada desculpa, que é por causa de Lisboa.

4) Câmara do Funchal. Seja honesto e transparente. E confesse. O que se passou na câmara do Funchal ? Qual a razão do desequilíbrio financeiro e das multas que paga(ou) por actos de gestão, não legais cometidos ? Se foram fraudulentos, teremos depois a policia. 

E poderia continuar. Esta é apenas uma pequena amostra de que aquilo que pratica, está nos antípodas do que escreveu. Sabe, devia ser-lhe oferecido aquele livro “Um partido com paredes de vidro” de um tal de Álvaro de Cunhal. È que Pedro Calado, tal como Cunhal, têm as suas cassetes que nunca mudam e paredes de vidro demasiado baças. Mesmo muito. Existem telhados de vidro, sim senhor. e são muitos, tantos como os buracos que deixa(ou). Aliás transparência Sr. Vice-Presidente, é coisa que desconhece. 

Pedro Calado quererá ser “Pétros” ? Ainda vai a tempo, mas cheira-me que Pedro Calado, vai ser apenas mais um saloio na Região e que continuará a querer fazer de nós “parolos”. Neste reinado do PSD-M, Pedro Calado terá por certo o cognome de "O saloio"
História: um relato geralmente falso de acontecimentos geralmente fúteis, contados por governantes geralmente velhacos e soldados geralmente tolos, Ambrose Bierce

Pedro Ramos, um saloio na Saúde da Madeira. Saloiada de marmelo.

Nos meus primeiros artigos na Gnose, ao opinar sobre o novo hospital central na Madeira, referi que a Região não possui massa critica para ter 2/3 hospitais e um conjunto de clínicas tão numerosas como as que existem actualmente. A Região é geograficamente pequena, tem apenas cerca de 250.000 habitantes. Não possui mercado ( profissionais de saúde e utentes ), para haver sustentabilidade económica de um projecto privado de saúde, excepto se a Região falhe muito, ou abdique no que lhe compete fazer nesta área. E falha.... não muito, mas muitissimo. E abdica, também.

Reforço: na Madeira não existe mercado, que sustente uma saúde privada hospitalar ou de serviços e uma saúde pública com os serviços totais adequados á população. E quem diz o contrário, mente. Mas, lá está, se públicos e privados “repartissem” áreas clínicas, seria uma hipótese. Mas se assim fôr, qual a necessidade de investimentos tão grandes no sector público da Saúde, como é o caso do novo hospital ? Ou em equipamentos ?

Fruto de acontecimentos recentes, a Medicina Nuclear na RAM, é um exemplo prático do que sucede numa Região com mercado pequeno:  existirem 2 entidades que praticam e têm capacidade para fazer o mesmo. Uma claro tem que ser arredada. O GR numa lógica ruinosa para o bem público, escolheu entregar a um privado os serviços de Medicina Nuclear, desinvestindo na área, retirando ou mandando embora profissionais. É a chamada gestão saloia que se demonstra assim: as galinhas do meu vizinho, são melhores que as minhas. Por isso, acordo com o vizinho comprar-lhe galinhas e dou-lhe desde já dinheiro para durante 20 anos, mesmo que os animais venham doentes ou subnutridos. Ah... e ainda pago as galinhas do vizinho que ele e os seus comem ou vende por fora. E se o vizinho achar que alguém da minha família deve pagar mais, …. completamente de acordo, desde que não sejam os filhos ou os pais.. Aliás eu quero é pagar, para poder trabalhar, no galinheiro do vizinho.

Pedro Ramos na peça jornalística da TVI sobre os serviços de Medicina Nuclear na RAM, mostrou á jornalista e a todo o país, que achava aquilo tudo uma brincadeira. Reparam naquele sorrisinho maroto? de galaró ? de Hommo Saloiun ?.  Depois, bem depois, foi “apanhado com as calças na mão”. Omitiu, desconhecia, no minimo .……. Deve-lhe ter caído a moeda quando viu  a reportagem, ou alguém a viu por ele. 
Por isso, no dia seguinte, fez pior. Armou-se em ditador. Estava ressabiado. Fez-se entrevistar á frente dos serviços, ameaçou e fazendo jus ao nome ( pedra, rochedo …. ) continua a achar que a parceria com a empresa Quadrantes é a melhor para a Região e por aí fora. Não percebeu ou não quer perceber como teimoso que é, que aquilo é caso de policia e de exemplar apenas a ideia de como arruinar financeiramente um serviço público.

Aquilo que Pedro Ramos devia explicar é:  porque é que uma empresa trabalhou sem licenças; porque são entregues a uma empresa serviços que podiam ser realizados no hospital; porque é que o serviço regional de saúde comprou e investiu ( certo 85% vieram de fundos comunitários ) em equipamentos que não usa; porque mantém profissionais parados e a receber …..a isso Pedro Ramos nada diz.

Também não diz e ninguém lhe perguntou, porque é que não fez o GR da Madeira um concurso público para entregar aquele conjunto de serviços a privados. Aliás, a Quadrantes e dado o investimento que um serviço de Medicina Nuclear representa, acima dos 3 milhões de euros só em equipamentos e instalações, não foi para a Madeira à espera que algo  lhe caísse nas mãos. Nada disso, só acreditará nisso, quem acreditar ainda no Pai Natal. A Quadrantes como privado que é, investiu porque sabia já à partida que não teria concorrência. Tout-court. Foi um toto-madeira que lhes saiu e aproveitaram.

Pedro Ramos, também assobia para o lado, quando não explica rigorosamente nada sobre quais os ganhos e o valor dos mesmos, para a população madeirense, da parceria com a Quadrantes. Uma coisa lhe digo, em Lisboa existem serviços da Quadrantes mais baratos do que a tabela em vigor na Madeira !!!!

Pedro Ramos também não fala , daquilo que a repórter assinalou e que passou ao lado de toda gente: Prada, Calado, Albuquerque, órgãos de comunicação social e miudagem. A existência de gente na Madeira, que não quis falar por  medo de represálias. Pior, Pedro Ramos e todos os saloios que o defendem, nem uma palavra dirigiu á pessoa que valentemente expôs a sua situação pessoal e ainda por cima com aquela situação familiar às costas. A vida destas pessoas e de todas as outras, para Pedro Ramos, parece não terem valor nenhum. Ele assim o demonstra. São números.

Pedro Ramos não demonstrou remorsos, nem arrependimento. Nada. Já se sabia que Pedro Ramos como Sec. Regional nada valia. Mas agora, que se tinha um saloio como Sec. Regional, é uma novidade. Percebe-se assim, porque na Madeira a Saúde pública é um negócio de poucos e controlada para os “parceiros” com a impotência total de quem precisa dela. Afinal  são apenas números de uma folha excell ( lembrem-se dos cortes nas consultas médicas e a sua "explicação natural" ).

Pedro Ramos, claramente não pratica o que o seu mini-chefe, Calado, escreveu. Pudera. Diz-se sempre que o exemplo vem de cima, mas claramente de cima apenas saloiada. Que Ramos a pratica, cinicamente pelos vistos. Não se espere uma demissão, nem se espere arrependimento. Apenas mais asneiras.

Nenhuma novidade  também na posição da secção regional da ordem dos médicos sobre este e outros assuntos. Pudera, fecham os olhos e deixam  muito dos seus membros ganhar a dois tempos: por ambos os lados. No publico, porque é lá que recebem um ordenado que lhes paga a casa, no privado porque é lá que recebem o extra para poder pagar os  luxos. E ainda muitos são sócios nos privados. Recebem dividendos(?) e sejamos francos, quantos mais dividendos(utentes) mais ganham. É assim no privado, naturalmente.. Sempre.  Não existe  ética e moral nos costumes e ainda por cima, têm uma prática de anos e de bênção dos sucessivos governos regionais ou DDM - Donos Desta ....Madeira. Enfim.




Uma pequena observação
Pareceu-me ouvir nas imagens da RTP-Madeira, Miguel Albuquerque quando foi apresentar cumprimentos, no paço episcopal, ao novo Bispo do Funchal, dizer que não podia estar na primeira missa celebrada pelo Sr. Bispo, porque tinha consultas marcadas. Se assim fôr, e se foram médicas, foi nos excelentes serviços da RAM que ele tanto apregoa ? Ou terão sido consultas ao bruxo Kibombo Xandinga para saber qual o seu futuro ? Ou terão sido consultas á consciência ?
Há um principio que deve ser considerado como absoluto por um soldado das SS: comportar-se honradamente, honestamente, fielmente, em excelente camaradagem com todos aqueles que são do nosso sangue, mas perante mais ninguém. Que os outros povos vivam em prosperidade ou estoirem de fome, isso em nada me interessa a não ser na medida em que tivermos necessidade deles como escravos da nossa cultura; não me preocupo com mais coisa nenhuma …” Discurso de Heinrich Himmler, 1943, em Posen

Substituam caros amigos, SS por PSD-M; e Heinrich Himmler pela prática, acções e discursos de qualquer governante da RAM ou do PSD-M nos últimos 40 anos. Encaixa. É violento, é brutal. Mas é a verdade. Dura, nua e crua.

Um exemplo civico. 

Não conheço o Dr. Rafael Macedo pessoalmente. É um amigo do facebook. ponto. Reconheço-lhe no entanto coragem. Contra tudo e todos, expôs uma situação grave, que onera os Madeirenses quer financeiramente, quer sobretudo na área da sua Saúde. O que fez é obra e quero expressar-lhe desde já a minha solidariedade, gratidão e que me honra tê-lo como amigo "facebookiano".

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.