Falta autoridade e autoridades na Madeira


Desculpem a franqueza. Perguntei às pessoas da Gnose se aquilo que vou escrever se enquadra nas linhas orientadoras de uma cidadania activa, ser um clube de pensadores que aborda com a profundidade os assuntos do interesse da Madeira e dos Madeirenses.

Parece que de repente todos ficaram loucos na Madeira e a informação está a passar para o exterior, para o continente mas, por este andar, não seria primeira vez, vai ultrapassar fronteiras. Pode haver gente na Madeira que queria tudo isto num regime fechado mas estamos na era da informação. Numa altura que se fazem descobertas no Centro Internacional de Negócios, apresentar gente desta categoria no poder vai criar uma imagem terrível à Madeira e aos madeirenses.

Estamos a ficar impressionados com actos de gente pública que surge nos piores registos. Eles que deveriam ser exemplo afinal representam-nos como casaca grossa, coisa que não somos, aliás gente decente parece ter sido banida da política. Na minha opinião, a Madeira está a viver o clima que vai dar votos ao extremismo ao primeiro que se apresentar como agente de disciplina, pudor e combate à corrupção.

Da mesma casa da democracia, saíram em dias consecutivos um deputado a fugir bêbado com a polícia a perseguir aos tiros e outro a se masturbar para alguém na rede social. No passado tivemos as três "crianças" feitas deputadas a brincar no hemiciclo, um foi com aquele problema de consumo de estupefacientes e que "pregava" calotes a outros deputados, num acto lúcido foi retirado, agora este da bebedeira e fuga da polícia (os dois faziam parte da cena das 3 crianças no parlamento).

Creio estar certo disto. Estamos no culminar da protecção política a gente inferior que julga que pode prevaricar e fazer o que entende porque a política dá cobertura. Os partidos não se querem mal vistos e abafam, eles prosseguem sem limite nem têm medo que a actuação política (o poder) lhes lixe a vida. A regra da separação de poderes não existe e estamos a criar um clima de atritos e descrédito.

O cidadão decente que se sente ultrapassado por todos estes crápulas deve actuar mostrando indignação em vez de ter medo, caso contrário, para além do medo vai sentir vergonha, sobretudo quando em contexto exterior se puserem a jeito destes flashes noticiosos, que se fixam na mente das pessoas, começarem a indagar que raio de gente temos cá e porque é que o povo é tão complacente.

Estou indignado por ser assim representado e por saber que todas as oportunidades na vida madeirense estão entregue a este tipo de pessoas desqualificadas e sem categoria. Esgotou um tempo, não quero saber de jogadas, de perfis falsos, de jogos incriminatórios ou construção de teatros políticos para os maus

O Dr. Miguel Albuquerque trouxe crianças para a política e elas entretêm-se na Assembleia, tal como pensado, para votar sim a tudo a troco de um bom ordenado. Deu um governo incompetente à Madeira e por mais que ofereça tudo o que tem e não tem, que compre toda gente ou sirva aos lobbies, tudo isto está errado e transforma-se numa monumental falta de pulso. O que o Dr. Jardim tinha demais, o Dr. Miguel Albuquerque tem de menos, autoridade, e as autoridades regionais não actuam nem se fazem respeitar. Só nos faltava cá o juiz Ivo.

Assim vai crescer o extremismo e o populismo na Madeira, são os partidos tradicionais de poder que os chamam à ribalta. Pergunto, não será o deputado José Manuel Coelho um problema menor comparado com o que estamos a ver? E vai haver tribunal? Porque surgiu o deputado Coelho? E quem vai surgir agora?

Acabe com as crianças no PSD Madeira Dr. Albuquerque, a Madeira e os madeirenses são coisa séria e cumpra com as suas promessas eleitorais senão será outro garoto igual a eles!

Créditos: vídeo da autoria do "Observatório da Crise"

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.