Abicando 2018, arribando 2019



No plano internacional, 2018 confirmou o aprofundamento da crise estrutural do capitalismo, com fortes contradições entre as potências imperialistas. A situação nacional, apesar de alguns avanços quanto à recuperação de direitos e de rendimentos para os portugueses - alcançados mesmo contra a vontade do PS - a persistência do Governo minoritário do PS em opções e políticas que não rompem com décadas de política de direita mantém e agrava problemas que marcam a vida económica e social do País.

Na Região, quer no Governo, quer nas Autarquias, agravou-se a desilusão para tantas pessoas que, em lugar de uma prometida mudança, assistem ao prolongamento dos compromissos com os interesses do grande capital e à submissão do interesse regional à vontade dos senhorios destas ilhas.

O desafio maior que se coloca à Região em 2019 é o da necessária rutura com a política de direita, independentemente de ser realizada pelo PSD de Miguel Albuquerque ou pelo PS de Emanuel Câmara e do seu procurador Paulo Cafôfo, e a da construção de uma alternativa política.
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.