Incidentes Aéreos

É do conhecimento geral que o avião ainda continua a ser um dos meios mais seguros de transporte, no entanto, por vezes azares "são acontecidos", ou acontecem ...


Quem tiver um pouco de vontade e paciência, poderá ler os inúmeros relatórios de acidentes aéreos divulgados pelos diversos Gabinetes de Investigação dos vários países, replicados em vários sites dedicados à temática (ou para os mais impacientes e pouco dados à leitura, podem sempre ver o programa "Mayday", do Canal National Geographic.)

As causas que levam aos acidentes/incidentes são as mais variadas mas, normalmente têm em comum uma sequência de acontecimentos muito específica e improvável que, no entanto, acontece por vezes, seja por causas humanas ou outras.

F-16, tipo de aparelho utilizado ontem no acompanhamento e apoio ao avião da Air Astana com problemas.
Depois de ontem um grave incidente com um aparelho Embraer da Air Astana ter, felizmente, terminado da melhor forma, com muita mestria e colaboração entre os diversos envolvidos (ver noticia Gnose referente a essa situação, AQUI), hoje mais uma vez a aviação em território nacional mereceu notas de destaque na imprensa, devido à aterragem de emergência no Aeroporto de Faro, de um Boeing B738 da Transavia saído da Madeira para Amesterdão. Ssegundo consta, por problemas de pressurização e ainda segundo notícia do DN Madeira, devido ao facto do aparelho ter embatido com a cauda no chão na descolagem ... portanto, um "azar acontecido" ...

Claro que, nestas ocasiões sabemos que nem sempre a informação inicial é a mais correcta e a pressa de noticiar, aliado à fragilidade de certas fontes de informação, faz com as notícias surgidas ao longo das primeiras horas nem sempre sejam as mais fiáveis. O mais correcto será, sempre, aguardar pelas investigações e conclusões das entidades competentes que, no caso de Portugal é o GPIAAF - Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários, criado após a fusão dos organismos que investigavam os acidentes com aeronaves e na ferrovia.

Recentemente, alvo de alguma polémica entre nós devido às declarações num artigo de um Órgão de Informação Regional (que nem todos os acidentes/incidentes seriam investigados), a verdade é que a função do referido organismo é fazer a investigação dos mesmos, apesar de posteriormente essa informação nem sempre ser disponibilizada online.

Nos últimos anos, a situação deste organismo foi, tantas vezes, bem a imagem de um país "recorrentemente" sem os meios humanos e materiais, mínimos e imprescindíveis, para o bom desempenho da sua missão, pelo que não será de estranhar (ou será ... mas estou certo que por razões não imputáveis aos elementos investigadores do Gabinete) que as investigações de muitos acidentes não estejam a ser concluídas ou publicadas com a celeridade que seria desejável ....

Fica o link para o site do GPIAAF, onde poderão encontrar, no menu à esquerda, os relatórios de incidentes/acidentes já publicados, incluindo por exemplo, aquele que mais traumatizou a Região, o 727 da TAP: http://www.gpiaa.gov.pt/

Entretanto, segundo o site FR24, o  aparelho (PH-HZD) já partiu ainda durante a tarde de Faro para Amesterdão. O tempo recorde do conserto, menos de uma hora, antevê que algo do que foi dito não está certo ou na gravidade sugerida.

Rui Sousa
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.