Assobia para o lado

 

.

Quando as pessoas temem o governo isso é tirania. Quando o governo teme as pessoas isso é liberdade, Thomas Jefferson

O (des)GR falhou e continua a falhar. E assobia para o lado. Este é um governo constituído por homens inúteis. O pior de todos. A inutilidade não está confinada apenas ao XIII governo regional. Estende-se naturalmente na sua maioria, a todos aqueles que o compõem ( as figuras minors ).. Até mesmo a partes da oposição. Se tirarmos de lá 2\3 (dois terços )  daquelas pessoas, nada se notará e quero crer que até algo melhorará. Se ali no (des)GR, alguma mente brilhasse, estaria a trabalhar na VERDADEIRA iniciativa privada, não na privada, do regime. Um governo regional rasca, de baixíssimo nível intelectual e outros. A soma das maiores incompetências e futilidades na RAM, está ali plasmada.

O que tem de mau esta situação que se vive na RAM, com a pandemia (des)controlada, as festas imbecis do regime nos Savoy´s, o discurso tonto de MA e as tempestades que nos assolam, é que mais uma vez, as nossas atenções focam-se no acessório e não no fundamental.

A Covid está descontrolada na Madeira. Já o sabíamos. Não agora, mas desde Março do ano passado. Quando se era a "região do país com menos casos de Covid, quiçá da Europa e do mundo". Quando a culpa era dos outros, os turistas perseguidos, quando era melhor os emigrantes "ficarem lá, nos seus sítios" e as mortes ficavam-se por "insuficiências cardiorrespiratórias" (também aqui a Madeira foi a região do país que mais óbitos por habitante que aquela causa teve !!!!! ). Aqui na Gnose, desde essa altura, chamámos a atenção de que nada estava preparado e tudo estava escondido. A matemática não engana e o R0 era acima de 1. 

A manipulação da informação saída da Sec Reg de Saúde da Madeira, do SESARAM, era demasiado óbvia e a pergunta que tem de se fazer é porque SÒ agora todos falam no que desde sempre estava errado e à vista ? Porque só agora ela nos bate à porta ? Porque só agora percebemos que verbas foram desviadas para fins que não o combate e a preparação do combate a esta epidemia ? Porque só agora fica exposto a falta de preparação do SESARAM; e (des)GR para o combate a esta epidemia ? Porque só agora percebemos que a ilha, que podia ser naturalmente uma defesa contra ela, com a inação do (des)GR tornou-se uma armadilha para todos nós ? Mas alguém AINDA acredita(va) neste (des)GR, no que diz e no que faz ? 

Parente no governo sempre cria problema. Para o parente ou para o governo, José Sarney

Alguma vez este (des)GR e todos os anteriores, fizeram parte da solução de problemas regionais ?. Raramente. Eles, este e anteriores, são sim, a razão principal de quase todos os problemas regionais. Desde a Saúde às Finanças, passando pelo Turismo, Emprego e Economia, nunca os (des)GR´s  fizeram parte da solução, mas sim do problema.

Nas épocas de dinheiro fácil, sem o sabermos, arranjaram-nos problemas para o nosso futuro, que chegou, em meados dos anos 90, do século passado (e pelo meio muitas dividas perdoadas pelo estado central).

Hoje em economia, fala-se muito daquela fábula de Esopo, “mais vale um pássaro na mão do que dois a voar”, quando, na perspectiva de um investidor, ele ou mantém o seu dinheiro no banco (o pássaro na mão), ou usa-o para investir no mercado de acções em empresas que “voam” alto ( os dois a voar), nomeadamente as tecnológicas. Entre ser conservador nos investimentos, ou em ser-se pioneiro nos mesmos. Entre uns e outros, eu prefiro o “quando”. Explico. É bom e deve ser-se inovador no investimento, mas temos é de saber e sobretudo perceber QUANDO  é que vamos deixar de o ser. Porque existem alturas para o não sermos. Arrecadarmos o que temos/ganhamos. Mantermos os ganhos e analisarmos o futuro que "está aí". 

O (des)GR não foi bom investidor, muito menos bom analista. É péssimo. Odeia a inovação. No pensar diferente, no investimento e na análise ao investimento. Tal como os anteriores, desbaratou o que podia ter em inépcias e maus hábitos ( o pássaro na mão, o dinheiro de todos ) e andou sempre a colocar os pássaros dos outros ( os amigos do regime, os monopolistas )  a voar. E eles estão a voar...à custa do dinheiro de todos. O QUANDO neste regime não existe. Só o EU QUERO.

Este (des)GR tentou ser o “bom investidor/analista” da saúde dos madeirenses. Pensou ter luzes de conhecimentos, quando afinal é um buraco negro de conhecimentos e a imbecilidade total nos investimentos. Seja na Saúde ou em outras áreas. Porque para ser-se investidor, tem de saber-se onde investir, porque investir e quando investir. Tem de analisar para poder investir. Mas analisou apenas os "investimentos" dos muito próximos. E aconchegou-os, protegeu-os, como nunca nos protegeu a nós. 

O (des)GR (des)investiu na Saúde dos Madeirenses. Também na Educação. Igualmente no Turismo, nas Pescas, nos Transportes, portanto na Economia e Finanças. Fez pior. Nesta “coisa” da pandemia, assobiou para o lado, dando mostras que sabia o que estava a fazer, quando e apenas tentou jogar na lotaria da sorte. De o Covid não existir e se existisse quanto menos se falasse nele mais e melhor seria combatido. Teve azar…ou melhor, sorte enquanto conseguiu controlar a informação do óbvio. A existência e propagação do Covid. Desde Março deste ano, não APENAS agora, muito assintomático sem o saber, passeou pela ilha. Alguns na sua maioria, naturalmente deixaram de o ser e os restantes estavam com gripe. No entretanto infetaram e incubaram. Ou faleceram por causas "naturais" (os mais velhos). A RAM teve quase mais 21% de óbitos que o normal, uma taxa média acima dos 5% para o resto do país.

O (des)GR como mau, péssimo investidor, também jogou no “mercado dos futuros” da Madeira. Por isso, com eles,não temos futuro. Pensou ser um Buffet, quando e apenas é o Zé da esquina. Aliás, sabe menos que o Zé da esquina. Porque este sabe que tem de poupar para os filhos e o (des)GR nem isso fez. Poupou para os filhos dos outros. Este e outros (des)GR´s nunca investiram na Madeira. Como bons actores, ajudados por grunhos e a maioria da comunicação social, maquilhou sobretudo a sua imagem para nós, até onde foi possível. Eramos o paraíso. Mas da macacada. E os macacos fomos nós. Imperdoável.

Contribuinte é a pessoa que trabalha para o governo sem nunca ter prestado concurso, Ronald Reagan

E no resto também se assobia para o lado...

Com esta “estória” grave, muito grave da pandemia, continuamos a esquecer que “existe mais vida para além dela. Se da saúde estamos falados (e mal ), temos que perceber que a RAM só poderá sobreviver se tiver também saúde financeira e económica. Coisa que não existe. 

Se a Saúde está morta, na área financeira e económica as coisas estão péssimas. Está tudo ligado às máquinas. E nos cuidados intensivos. O turismo, quando existe é APESAR do (des)GR, a Cultura idem-aspas e a Educação...logo se vê. Nas Finanças/Economia, aspas-idem.

Tal como agora com a pandemia falta equipamento na UCI do hospital Nélio de Mendonça  para a combater, porque verbas foram desviadas para gastos/investimentos SUPERIORMENTE absurdos, o (des)GR também não preparou a UCI da vida económica, turística e financeira da região. Nem pré, muito menos pós Covid. Fiaram-se, fiam-se na virgem, no "golpe de vista" e logo se verá. Veem-se muitos incêndios e incendiários, mas nenhum bombeiro a combatê-los. Este é um (des)GR de incendiários.

Diz-se na economia que recessão é quando o nosso vizinho perde o emprego e depressão quando somos nós a perdê-lo. Na RAM a maioria de nós, TODOS aqueles que não estão empregados directa ou indirectamente (contam as empresas/institutos... âncoras do regime, de capital público ou privado ) estamos em depressão. Entrámos em depressão.

Quando uma empresa ou pessoa ou pessoa gastam mais do que ganham, vão à falência. Se for um governo, manda-te a conta, Ronald Reagan

Sejamos realistas. Se a Madeira já não conseguia obter/ter recursos para se sustentar ( impostos directos ou indirectos pagos por pessoas e empresas da região ), para ...2018/2019/2020 ….. para 2021 e anos subsequentes será pior. Não possuindo recursos não pode investir, não investindo não pode empregar, criar empregos. Apenas pedir esmola. O psd-M tornou a RAM na "região esmola" de Portugal. Na Madeira tudo tem um preço e quase tudo está à venda. E esmola-se.

Apenas o recurso ao endividamento bancário e o não pagar despesa a terceiros é que possibilita que o “banco” regional não feche. Dos empréstimos obtidos e conseguidos na banca a custo, o des(GR) pouco tem. Quase tudo foi para pagar dívida antiga, fornecedores ( sobretudo os mesmos de sempre ).  E preparam-se para fazer mais dívida ( um contrassenso ) ao permitirem-se fazer mais obra de betão desnecessária. Não útil, mas porque os amigos assim o exigem. E pagamentos de mais serviços....

Falemos APENAS em números que este (des)GR admite. Com uma dívida a fornecedores de mais de 4 000 000 000 € (quatro mil milhões de euros ), dívida acumulada regional de mais de 5 000 000 000 € (cinco mil milhões de euros ), e um PIB que não ultrapassará em 2020 os 4 200 000 000 € ( ou pior ) a RAM está falida. Nem tecnicamente falida está ( a soma dos seus bens, dos seus activos, ser superior aos seu passivo, ao que deve ). A Madeira, se fosse uma empresa, estava intervencionada pelos tribunais e um administrador de falências já tinha tomado posse. A Madeira, sejamos claros, não tem capacidade “per si” de pagar o que deve, excepto se começar a vender “escravos”. É o que este (des)GR fez. Tornou-nos escravos de outros.

Com uma dívida total superior a 11 000 000 000 € (onze mil milhões de euros ) a Madeira que só deve "facturar" em 2020 (PIB ) 4 200 000 000 € e nos 4 anos anteriores, números redondos, em média 4 800 000 000 €, não possui capacidade de pagar o que deve. Nem juros. Ou mais dinheiro é injectado ou a RAM fecha. Vivemos a empurrar a nossa dívida com a barriga para os netos....Sobrevivemos gerando mais dívida. Um ciclo vicioso: o (des)GR faz mais dívida para pagar a dívida.

Quase 62% das mini, micro, médias empresas regionais estão em risco de falência. O incumprimento bancário, empresas e famílias, é SÒ o maior do país. As Cofids e outras que tais, já não conseguem cobrar dívida. As empresas que ainda sobrevivem e usaram o “lay-off” ou os “apoios” que o (des)GR “deu” ( porque na Madeira nada se dá sem um troco ) não têm capacidade para manter funcionários ou devolverem o que pediram ( porque não mantiveram funcionários ). Excepto se fizerem o que muitos fizeram: No lay-off, obrigaram empregados a trabalhar mais do que deviam e não pagaram a sua quota parte. O terçoao empregado. Dos apoios que receberam para "ajuda"....o dinheiro não chegou e quando chegou foi para os mesmos de sempre. O (des)GR apenas ajudou as empresas num montante global de cerca 80 milhões de euros. O resto foi desviado porque ordenados e subsidios de férias eram precisos ser pagos.

Diz MA e muitos que agora o criticam, que na Madeira os programas sociais são(eram) bons porque muita gente usufrui deles, Mas para todos, até aquele actor célebre chamado Reagan, bons são os programas sociais que tiram gente deles. Não os que os colocam lá. Coisa que este (des)GR faz. Os programas "económicos" do (des)GR enviaram/enviam gente para os programas sociais. Uma forma de gerar a subsidiodependência. Aliás, como num estado "socialista" ou no estado "socialista bolivariano", é um orgulho ter tantos a pedir ajuda social. É um orgulho e são também muitos mais para serem pressionados a votar no que o regime entende. 

Entre um governo que pratica o mal e o povo que o consente, existe uma certa cumplicidade, Victor Hugo
Os (des)GR´s têm assobiado para o lado desde à quase 50 anos. Com este e o anterior de MA, o assobio foi mais forte. Para desviar as atenções ao saque sistemático e metódico da riqueza regional. Do desbaratar do esforço regional. Como num antigo país de Leste, de um país socialista como a Venezuela por exemplo, este (des)GR pratica o "socialismo democrático": distribui por quase todos igualitariamente a miséria, mantendo para a "nomenclatura" privilégios reforçados de bem estar económico, político e social. 

Já percebemos que a OPOSIÇÃO madeirense na ALRM, está apenas à espera que este (des)GR caia de podre. Nós trabalhamos, eles colhem os frutos. No actual quadro parlamentar regional só pode acontecer isso. 

Não será a altura de todos nós, OPOSIÇÃO, de exigirmos eleições antecipadas e um novo governo regional ? Vamos nós a OPOSIÇÃO e a outra oposição continuar a assobiar para o lado ?

Carlão, Assobia para o lado, o hino do regime da Madeira.

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.