O crime, a maldade, a ruindade e o assalto

 

Um bandido será sempre um bandido, Frederico Varandas

O crime - Covid …os números....os positivos...os óbitos

Pelas páginas de ontem do DN-M começa a transparecer a realidade “covid” na Madeira. Como sempre, o GR deturpou, escondeu, mostrou e fingiu que tudo ia bem no “reino da Dinamarca”. O GR da Madeira, tem feito a única coisa que sabe fazer BEM. Inventariar números, criar ilusões, praticar anormalidades. Odeio ter razão neste caso. Desde sempre que esta situação foi aqui na GNOSE falada e apontada. E desde sempre acusamos o GR de não ser transparente, mesmo quando a saúde pública da Madeira está em causa. 

A transmissão comunitária da covid na RAM é falada nas entidades de saúde da Madeira desde sempre, sobretudo desde à 2/3 semanas, Coisa que o GR tem negado. Para o GR, os casos que existem são de outros. Os turistas, os de fora. Aliás a Madeira é a ÚNICA região do mundo que contabiliza casos covid com: importados e locais. E isto já queria dizer tudo. O GR sabia que estava a esconderr E DELIBERADAMENTE faltou à verdade ao povo madeirense. Não informando, enganou. E como existem agora, pessoas inocentes infetadas, tal deve-se ao GR que naturalmente com a sua mensagem MENTIROSA, permitiu que os madeirenses se sentissem seguros quando não deviam. Não praticassem mais segurança,quando deviam.

Fez pior. O GR, o psd-M, mandatou os seus "funcionários" das redes sociais a criarem mais um mito urbano regional. Que os casos reportados pela DGS eram de madeirenses a residir fora, mas com CC da Madeira. Esquecendo-se que a DGS informa sobre os casos nos locais ONDE foram testados positivos. Um madeirense testado positivo no Porto, CONTA para os números do Porto e é seguido lá ( e que deve informar o SRS  para conhecimento futuro ). 

O RO da Covid é em Portugal de cerca de 2,1. isto é, cada infetado, não tem que ser positivo, basta assintomático ( nem sequer falo nas pessoas que tendo o vírus testam negativo, como foi o caso de Cristiano Ronaldo ), transmite a doença em média a outras 2 pessoas. E a Madeira é Portugal- Depois é fazer contas. São as leis da probabilidade/estatística que nunca falham. É matemática pura e dura. E tem que existir transmissão local. Ponto.

Num dia da semana passada ao acaso, 4ª feira, comparei os números do GR e da DGS. Podia fazê-lo em qualquer dia destes últimos meses. Para a DGS eram 15 os casos, para o GR 9 casos, sendo que 2 de transmissão local. Entre a DGS e o SESARAM 6 positivos fugiram.....E cá para mim, foram esses 6 fugidos, que em média "infectaram". devem ter infetado o dobro das pessoas. Os fantasmas das estatísticas deste GR

Entre outros, existem casos de infetados na ajuda domiciliária, em lares, em profissionais de saúde que fruto do seu trabalho, inadvertidamente infetaram pessoas a seu cargo porque nada sabiam, do que se passava e o GR nada fez. Pior, o GR não testou preventivamente os profissionais de saúde e da segurança social que mais directamente contactam com pessoas, sobretudo com os grupos mais vulneráveis.

Ao não informar, o GR cometeu um crime de saúde pública. E existe uma moldura penal para quem comete tal. O GR agiu como um bandido. Foi cúmplice, parceiro activo de um vírus que entra sorrateiramente nas pessoas, as fragiliza e mata. Por isso devia ser demitido. E duplamente penalizado mais ainda, se forem verdade as alegações de que existem indicações VERBAIS dadas, de como o Covid deve ser tratado nos serviços do SESARAM. Ou os óbitos. Por exemplo, prescindindo de uma colheita ao corpo. Ou testando até que o resultado seja negativo, a pessoa falece e ...já não conta. Por isso na Madeira, os óbitos por causas naturais e por causas cardiorrespiratórios são tão elevados ( ainda mais que no país )

Uma comissão de inquérito parlamentar a nada levará. Mas uma moção de censura sim. É que com esta, mesmo perdida, qualquer pessoa amanhã poderá proceder, se assim o entender, judicialmente contra o GR e quem o manteve. Porque a um GR criminoso, assassino da saúde dos madeirenses, só serve a demissão e a prisão.

OBS : MA esteve bem em não permitir público nos estádios de futebol. Acrescento que não percebo porque em Lisboa existe/fala-se num recolher obrigatório, pois pelas ultimas que ouvi, o Virus não se recolhe às 20,21 horas nem se levanta às 6, 7h da manhã

Haveria muito menos mal no mundo, se o mal não pudesse ser feito sob a aparência do bem, Marie Eschenbach

A Maldade - respostas sociais aos idosos

Meu reino, minha casa. Ninguém quer sair de casa. É lá que estão as nossas recordações. Os livros que compramos. As recordações que trouxemos de viagens. As fotos dos nossos. Cada objecto de casa tem uma história. A nossa história. No entanto para o GR, a institucionalização em lar é a resposta. Isto numa região pequena, onde tudo fica perto.

O GR pretende, segundo o PRR, aumentar para 42 000, actualmente 9 700, o número de pessoas em equipamentos sociais. São SÓ cerca de 25% da população madeirense, actualmente cerca de 230 00 pessoas efectivas residentes. O que está mal.

O GR mostra que quer o mais fácil, não o melhor para a pessoa idosa. Colocá-la confinada, "quer queira ou não". Porque é mais barato ter uma pessoa entre 4 paredes, do que em casa, com apoio, O GR poupa nas pessoas dinheiro e entrega recursos financeiros aos privados. Só na Madeira é que os privados na área social conseguem crescer SÓ com "capital social" público regional. São os Atalaias, as Dilectus ..... são mesmo algumas IPSS´s. Por exemplo se a Dilectus, que recebeu em 2 anos quase 4  milhões de euros tornou-se no Lar para os pais dos "filhos de algo" do regime, muitas IPSS´s começam também a reservar quarto para os pais dos amigos e com uma politica de recebimentos dos idosos engraçada. Pagam mais os mais pobres e sem conhecidos, nem que tenham de dar bens. Mas os "fidalgotes" pagam menos e nada têm de dar. Aliás são muitos os casos em que a IPSS faz uma "espera" até bens e contas bancárias destes utentes se esvaziem e depois entram no lar.

Colocar 25% da população da região com necessidades de apoio, mostra que o GR falhou na sua politica social e económica. Num país, numa região " a sério", estes números envergonhariam os seus governantes. Ter 25% de idosos necessitados de um lar é mau. Mas para este GR afinal é bom. São mais obras que se fazem para as empresas dos amigos, mais alguns dinheiros que ficam pelos comissionistas, mais outra forma ilegal de financiamento, são mais 25% de pessoas necessitadas de favores regionais e que a pressão politica não esquece....e é mais outra forma de dizer que fazem algo ( ninguém diz, mesmo a oposição que isso é mau, que as +essoas deviam estar é em casa apoiadas. Porque o que fica bem é construir-se, construir-se e entregar dinheiro, mais dinheiro às IPSS´s do burgo a eito e sem jeito ).

Mas triste, triste é que a estes quase 25% de população, tem que se acrescentar os outros, os desempregados, os carenciados .... e mais triste é que este número NUNCA poderá ser verdadeiro, pois dizer que 40 000 pessoas são idosas é dizer que TODAS as estatísticas, inclusive da DRE são falsas. Nenhum pais, região tem 25% da sua população institucioanlizada ou idosa. Por isso, obras a mais, camas a mais, ....mais recursos dispendidos, mais recursos estragados.

Por detrás de uma grande fortuna há um crime, Balzac..

A Ruindade - o concurso para o novo hospital

A opacidade do regime viu-se de novo no concurso do novo hospital. A um preço base de 250 milhões de euros para construção do novo hospital, quase o dobro dos novos previstos para Lisboa e Alentejo e a servirem maior população, os "concorrentes" recusaram-se a apresentar propostas. E o GR "amigo do seu amigo" foi ajudado a lembrar-se de "salamizar" ( ver como "salamizar" um hospital ) este concurso, partindo-o em vários. Começou com um concurso para "preparar terrenos". E colocou como preço base um valor estimado como os "concorrentes" queriam. Entretanto o PS-M e muito bem. fez queixa na Autoridade de Concorrência ( porque na ALRM .... para psd-M e cds-M tudo estava OK ). E essa queixa trouxe resultados. 

Depois desta queixa, "coincidência" ou não... afinal os "concorrentes" para esta primeira fase do concurso aproximaram-se dos valores inicialmente previstos e em alguns casos até mais baixos. Vergonha do que fizeram antes ou medo ? Julgo que medo.  Tal como com a EEM ( ver A via Crucis da EEM ... ), foi preciso uma auditoria para aquilo voltar aos lucros, neste concurso foi preciso uma queixa para os "concorrentes" se portarem bem e melhorarem preços ( que continuam acima dos praticados no continente ). Já agora , quando é que o GR, transparentemente, mostra  estas projectos e propostas ? Ou é necessário fazer-se o de sempre. Arranjá-las por outros meios ?

Quanto maior o número de leis, tanto maior o número de ladrões, Lao-Tsé

O Assalto - Preços de combustíveis

No continente o preço dos combustíveis não sobe desde à 6/7 semanas: ou descem ou ficam igual. Na próxima semana descem novamente. Na Madeira, apenas na semana passada o GR permitiu descerem “muito ligeiramente”. E só depois de “ouvirem” nas redes sociais  esta realidade inconveniente, que não pode ser ocultada e dificilmente pode ser escondida por jornais, rádios e TV. As comparações com o continente terminaram, mas ainda vi um "patego" comparar com Espanha. Quando nada se tem a dizer, compara-se com lá fora "à la carte". 

Mas compreendo porque este GR não baixa, como podia fazer, o imposto, para o combustível descer. Porque precisa de dinheiro. Outra fonte de rendimentos para este (des)governo e porque obviamente os comissionistas da venda de combustível necessitam Já agora, porque o GR nega mais uma vez outra marca de combustível, na região ? Como nas grandes superfícies ? Medo, má vontade ou simplesmente...mete medo ao regime uma concorrência verdadeira e detestam quem não vai ao "beija mão" para poderem fazer algo diferente na Madeira ?

O Mentiroso Compulsivo, Jim Carrey

 

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.