A navalha de Ockham


Ninguém nasce a odiar outra pessoa pela cor de sua pele, pela sua origem ou ainda pela sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar, Nelson Mandela

A navalha de Ockham é um principio de economia que diz que de "múltiplas explicações adequadas e possíveis para o mesmo conjunto de factos, deve-se optar sempre pela mais simples daquelas.”

  • Facto: um homem negro morreu vitima de brutalidade policial e uso inadequado de uma técnica de mobilização.
  • Facto: esta morte foi transformada primeiro em violência policial, depois numa forma de "racismo" policial e a seguir associada ao “combate” contra a história da “escravatura” praticada pelo homem branco.
  • Facto: Estátuas de homens brancos foram destruídas, bens de homens brancos, negros…  foram destruídos e roubados, a violência gratuita apareceu tal como a pilhagem, a bandidagem...
  • Facto: Movimentos extremistas usaram, usam esta situação para espalhar violência gratuita um pouco por todo o lado e divulgar mensagens de ódio e contra a história do "homem branco".
  • Facto: manifestações sucedem-se no mundo ocidental com mensagens de ódio e incitações à violência, contra as forças da lei e ordem instalada 
  • Facto: mais pessoas morrem, são assassinadas e os extremismos combatem os inocentes.
  • Facto: hoje tudo é racista, é xenófobo, é sexista.  Amanhã, talvez usar a palavra "homem" é manifestação de intolerância, como marido e esposa são para a ONU.

George Floyd não morreu por ser negro, nem porque o(s) policia(s) eram racistas. Morreu porque os policias foram cobardes (3 contra 1) e não tiveram o bom senso de usar a força adequada ás necessidades. Estes policias, fizeram com George Floyd o mesmo que fizeram em muitas outras ocasiões com outras pessoas e de outras cores. Tiveram "azar". Floyd morreu e aquela agressão bárbara foi filmada, potenciada, nas redes sociais e exacerbada porque todas as sociedades estão "com os nervos à flor da pele", com o medo instalado por causa desta pandemia e da má situação económica. Também porque os EUA têm um presidente que o não devia ser, odiado por muitos, sobretudo as elites "intelectuais" que ainda não perceberam que os Trump´s, os Farage´s, Pens´s e ... Andrés Venturas desta vida, nascem TAMBÉM por causa delas, porque acham-se os melhores e detentores da verdade absoluta e que o povo é inculto e os devia ouvir e sobretudo seguir. Almejam a uma democracia de poucos, para muitos.


Este afro-americano morreu num país de contrastes. Um país que elegeu um afro-americano como presidente, um actor para presidente, um ex-austríaco e actor como governador de um dos seus maiores estados, militares negros como chefes e ter como um dos pais fundadores, uma pessoa que tinha como amante, para mim mais esposa, uma escrava: falo de Thomas Jefferson. Ou George Washington, esclavagista "bom" como herói nacional e Robert Lee o agora "mau" da fita, como comandante confederado, mas nunca esclavagista, todos os seus trabalhadores eram emancipados, a chefiar as forças do Sul na guerra da secessão. Tem um movimento Ku-Klux-Klan de "doidos" e um Luther King maroto com as mulheres; salvou a Europa duas vezes, mas ao impor a democracia no Médio Oriente, viu que o ideal era manter os déspotas que lá grassavam e grassam. Um país que em 1939 quase não tinha exército, apenas marinha e quase nenhuma aviação, Um país que deixa "miudos" de 16 anos comprarem armas e tirar cartas de condução, mas que apenas permite que bebam com mais de 18 anos;  O país da "lei Seca", de Al Capone mas também de Bufalo Bill e Amstrong; O país do Super-Homem, Batman, Homem de Ferro, ....Macdonalds, KFC,  Coca-Cola, Pepsi-Cola....das gangas, da Disney.....o país dos sonhos de muitos, irlandeses, italianos, portugueses, noruegueses, alemães, judeus, .... A primeira democracia com uma carta dos direitos do homem. muito antes de os franceses falarem em igualdade, liberdade e fraternidade. Uma grande nação, pioneira, como nós portugueses também já fomos. Uma nação idealista, isolacionista que a Europa obrigou a não ser. A primeira grande democracia de mundo, para o mal e para o bem (UK é uma monarquia).

Os que negam liberdade aos outros não merecem liberdade, Lincoln

Está contra o racismo e as descobertas,
, mas tem uma caravela das descobertas tatuada
no braço. Vai amputar ?
Sucedem-se também por causa da morte de George Floyd, situações ridículas, lamentáveis e inapropriadas em todos os quadrantes da sociedade americana e um pouco por todo mundo, sobretudo na Europa.

Estátuas como a de Winston Churchill foram vandalizadas, retiradas, algumas de Cristóvão Colombo derrubadas, do Rei Leopoldo na Bélgica também retiradas, senadores americanos "ajoelhados", um chefe militar a dizer que "se fosse agora não acompanhava o presidente dos EUA"  [ eu se fosse Trump demitia-o na hora], o mayor de Londres a dizer que vai fazer um levantamento da estatuária na cidade para determinar quem teve ou não ligações ao comércio de escravos, uma estação a HBO a retirar "E tudo o vento levou" do seu catálogo de filmes, entre outras asneirices.

Pelo meio um movimento, os antifas, da década de 20 do século passado com origem nos USA, renasce e espalha-se por todo o mundo ocidental, até naqueles que nada sabem sobre ele.

Aqui neste nosso rectângulo, apareceram cartazes palermas, mensagens porcas, estátuas vandalizadas como as do Padre António Vieira, do Gil da Expo!!!! (também racista ?) uma petição para o derrube da Torre de Belém e do Monumento aos descobrimentos … entre outros.

Brutalidade policial – racismo – escravatura, foram estas as fases que rapidamente fizeram de uma morte que acredito não tenha sido intencional, muito menos racista, mas brutal, gratuita, num conflito civilizacional de tal forma que alguns tenham colocado todos os nossos valores e história questionados ( que é também a deles ).
Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra, Haille Selassie
Se chamam a este incidente de racista e inferem que todas as forças policiais americanas são racistas, porque aconteceu com um homem negro, vamos ter que chamar de racistas também as nossas policias europeias, porque infelizmente, elas actuam, como todas, sobretudo nos grupos mais pobres, mais desfavorecidos, em que a incidência de casos sociais, drogas, banditismo, alcoolismo, violência, …. é maior. E não acredito que todas estas forças policiais seleccionem ou deixem os tabefes apenas para os negros. Não, apenas para os mais brutos, porque afinal, demasiadas vezes a reacção policial é um reflexo do que aquilo que presenciam e das agressões que sofrem. Aqui em França, são os marroquinos, os tunisinos .... e já fomos nós os portugueses. Se isto se medisse por ratings, diria que os portugueses hoje em França, Suiça, ....estão no nível de lixo.  Sócrates estava em AAA. Como por exemplo Ricardo Salgado, Berardo.... .

Estes grupos desfavorecidos eonde as estatísticas e não só, mostram que é onde mais grassa a violência, entres os seus e para o exterior, podem ser brancos, negros, amarelos, vermelhos, castanhos e aquilo que dizem que é a maior coisa que o português criou : o mulato. A diferença, não está na cor da pele, está apenas no valor do cartão de crédito ou débito; está na forma de apresentação; no carro que se tem; no que se come; no ordenado no final do mês; no local e casa onde se habita......e também no que se ouve ( cobardes como somos, caricaturamos o Papa, mas deixamo-lo de o fazer com Maomé, porque um segundo  Chalie Hebdo, podia acontecer )

Morgan Freeman ( Free – man ),  foi entrevistado no 60 minutes há uma semana e a uma pergunta que lhe foi colocada, sobre a criação de um mês para o homem preto e reparação das “asneiras” cometidas a ele, teve uma resposta exemplar. Mas vejam, mesmo traduzido em "brasileiro" . [ em baixo coloco a versão original e outras opiniões sobre este assunto ]


Explicações não são desnecessárias. Ou melhor são. Porque é que eu coloco aqui Morgan Freeman, negro, descendente de escravos e não alguém de outra cor ? Por exemplo o Papa Francisco ? Sou racista e acho que a palavra de Freeman vale mais que a de Francisco ? Não, estou a fazer o "politicamente correcto". Por isso e tal como muitos outros, rebaixo-me. E não sigo o que Freeman diz .


Na lógica que muitos energúmenos defendem, nenhuma civilização seria estudada. E todas deveriam ser esquecidas. Até as dos homens negros em África. Afinal, quem apanhava e vendia os escravos a portugueses, ingleses, franceses, espanhóis, ….eram homens negros e as suas civilizações eram também assentes na escravatura.

{Será que Portugal concedeu a independência de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, porque aquelas ilhas eram habitadas por pessoas de côr, ao contrário da Madeira e Açores ? É que todas estas ilhas eram desabitadas e fomos nós que as colonizámos e todas estão no Atlântico. Fomos racistas ?}

Cristóvão Colombo foi um colonizador e racista? Ou foi um supremacista ? Um pouco de tudo, como foram Pedro Álvares de Cabral, Vasco da Gama, Gonçalves Zarco... D. João II, Fernando e Isabel de Castela, Elisabete de Inglaterra, Luís IV de França, Frederico I da Prússia, Pedro o Grande da Rússia,  .... O Gandhi da Índia, não era o Gandhi da África do Sul, nem o último Mandela seguiu o que o primeiro Mandela defendia. Infelizmente a violência. Todos foram fruto do seu tempo, mas aprenderam com os seus erros e pensaram diferente. Criaram a ruptura nos seus pensamentos e acções.

Eu tenho um sonho, que os negros e os brancos andassem em irmandade e se sentassem na mesma mesa em paz, Martin Luther King

Não se deve estudar Fernando Pessoa ? Retirar o Padre António Vieira da lista de autores do plano nacional de leitura ? Vamos deixar de estudar Portugal ? Vamos deixar de ler a Bíblia ? o Alcorão ? A vasta literatura hindu ? É que nestes livros santos, aparecem bastas vezes indicações de práticas esclavagistas, raciais, entre outros.

Barão Guaraciaba, brasileiro, negro,
teve mais de 1000 escravos, imagem DN
Onde está ou onde fica a solidariedade para todos os polícias que nas ruas combatem estes e outros bandidos? è que acredito que mais cedo ou mais tarde,por falta de solidariedade de todos nós, sobretudo dos políticos oportunistas, amanhã muitos podem e com razão demitir-se. Ou nada fazer. Porquê desgastarem-se, sofrerem maldades se não se podem defender e sistemáticamente são ofendidos? São apenas bons para as fotos eleitorais e para promessas vãs ? Assim, amanhã, vão ter mini Hitler´s como únicos a "ajudá-los", a "mimá-los". Um ombro para chorar e tirar partido disso. E o que relato, já acontece em todo lado no mundo ocidental.

Mas voltando à "navalha de Ockham" de entre as muitas explicações trazidas para este epifenómeno que tanta violência gratuita, a irracionalidade trouxe/traz, a explicação mais simples, mais rápida,  é uma só: a ignorância, a bestialidade e o oportunismo prevalecem.

A ignorância parece triunfar, porque a maioria dos que "defendem" e impõem o caos nas nossas ruas são ignorantes da história dos seus países. Para estes tristes, confinados às suas pequenas ou nenhumas células cinzentas, o terrorismo cultural é uma forma de estar e a bandidagem os meios para preservar aquele. Um povo sem história é um povo sem memória e estes bandidos não têm história. São agora incendiários e a nossa sorte é que vão morrer como bombeiros, pois isto vai passar para grande maioria. Mas até lá temos de os combater e confiná-los à prisão (e uns tabefes bem merecidos até ficavam bem )

A bestialidade grassa. Não apenas nos policias que fizeram aquela maldade a George Floyd, mas também em todos aqueles extremistas da esquerda à direita que incitam a violência e cometem violência. Aliás, não existe extrema direita nem extrema esquerda. Apenas extrema estupidez. Extrema burrice. Extrema tontice. Aliás a 3ª Lei de Newton é aqui aplicada "A toda acção sempre há uma reacção de mesma intensidade e direcção, porém sentidos opostos". Porque discriminado e descriminado podem parecer iguais, mas são totalmente diferentes.

O oportunismo está a vencer. Ver senadores democratas americanos ajoelhados, ver um general americano dizer que fez mal em estar com o presidente [ eu se fosse Trump demitia-o na hora ], ver o mayor de  Londres dizer que vai fazer um levantamento de toda a estatuária da cidade a ver quem teve muito ou pouco com o esclavagismo, ver a câmara municipal de Lisboa deixar ao abandono primeiro e depois com essa justificação fazer desaparecer um dos jardins mais bonitos de Lisboa ao pé dos Jerónimos porque tinha lá os escudos de todas as ex-províncias portuguesas .....é ser oportunista. Fazem para obter dividendos politicos. Por isso, estes oportunistas choram "lágrimas de crocodilo". Por isso é que nunca serão levados a sério pelo povo e os Trump´s vencem. Porque o povo não deve estar confinado às ideias de poucos, ou dos que se acham líderes de opiniões.

Não é a apagar a história que faremos um mundo melhor. A história serve para nos aconselhar sobre o nosso futuro e questionar o que se fez mal no nosso passado e fazer melhor, diferente. Mas não só o passado do homem branco, mas também os passado do homem negro, vermelho, amarelo, castanho ...... Afinal todos somos humanos e cometemos os mesmos erros.

Porque este é um mundo lindo, não o estraguemos com patetices, porque existe muito mais onde os nossos esforços são precisos e melhor empregues. Estudando a História, por exemplo.

 Louis Armstrong - What A Wonderful World

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.