Um pumba na Economia



É urgente eliminarmos da mente humana a ingénua suposição de que seja possível sairmos da grave crise em que estamos mergulhados, usando o mesmo pensamento que a produziu, Einstein
Artigo escrito a 12 de Abril
Rui Barreto apresentou um fundo de 100 milhões de apoio para as empresas Madeirenses. Mas será para todas, ou apenas para algumas ? De onde vem o dinheiro ? Do OR ? como tanto se gaba, ou vai ter de pedir autorização à República para o gastar. Da banca ? ( não um banco, mas vários, uma mutualidade, para dividirem o "mal pelas aldeias", os riscos de não pagamento ) e existirá dinheiro para pagar o seguro de risco que a Banca pede e fundos próprios que a Banca nesta altura exige, para uma Região endividada? Adivinho que seja apenas mais uma "carapuça" que nos querem colocar, neste caso Rui Barreto e o GR. 

Este dinheiro, acredito, será um fundo, possivelmente mutualista, com o suporte de Lisboa, um seguro elevado pago pelo GR e fundos próprios exigidos pela banca (não do OR, repito). Se a RAM estivesse bem, exigir-se-ia uns 2% - 4% de fundos próprios. Como está mal talvez uns 17%-24%. Este elevado valor em fundos próprios, demonstra o que a RAM vale em confiança para a banca. Se a RAM fosse a Alemanha, talvez pagasse apenas o café, se fosse Portugal, talvez uns 1%-2%, mas ......é a RAM. Também é importante saber-se quanto, quando e como é que a Região vai pagar em juros. RB não diz, mas é superior a 4%. Outro factor que demonstra o que vale a RAM. ( Um exemplo entre outros: Alguém empresta dinheiro a uma Região que DÁ 3 milhões de euros para o futebol ???? isto numa época de crise económica ? Os clubes de futebol conseguem "trazer" para a RAM o mesmo dinheiro em impostos ? ou valor aproximado ? )

RB pretende enfiar-nos o barrete. Mas a carapuça, apenas cabe na sua cabeça. Vejamos: ele diz, que a Madeira criou um fundo de 100 milhões de euros, números comezinhos á altura dele, da sua secretaria, para apoio ás empresas ( grandes, pequenas, médias, minis e micro ) madeirenses. Este dinheiro, diz Barreto, vem do Orçamento Regional. Mas causa perplexidade algumas situações bastantes opacas ou mesmo, na minha humilde opinião, bastante risíveis. Porque RB omite a origem, nada diz sobre quem vai pagar e faz-nos acreditar que é para todas as empresas. 

Por exemplo:

1)  Se sai do OR, quais as rubricas, ou organismos afetados num conjunto de 100 milhões de euros ? Porque teve de haver transferência de verbas no montante de 100 milhões no OR para aquele fundo (literal). Ou será que os 100 milhões estavam escondidos para o GR fazer malfeitorias ? dar, entregar .....esconder. Como o OR não pode ser elástico, se se coloca 100 aqui, tem que se tirar 100 de acolá. ( excepto se for feito em folha de Excel ). RB nada diz, nada lhe perguntaram, ou nada sabe. Ora como sobre este assunto, transferências de verbas no OR nada se diz.... então RB, não fala a verdade e o dinheiro vem da Banca. Mas com critérios e o OK de Lisboa. Obviamente
Recessão é quando o seu vizinho perder o emprego; depressão é quando você perde o seu, Harry Truman
2) RB diz que este dinheiro, entregue ás empresas madeirenses, sê-lo-á a uma taxa de 0% e a fundo perdido. Mas proveniente do OR ou da banca, uma divída de 100 milhões de euros será criada e paga por ….nós ( não acredito que o GR e o Regime façam uma vaquinha ). Veja-se que até as empresas com dividas ao fisco ou Seg. Social, podem, pelo que se depreende, ter acesso a este fundo !!!! Isto RB não disse. Insinuou que é a fundo perdido ( para as empresas e quais empresas), mas não para nós os madeirenses... que o vamos pagar, mais cedo ou mais tarde.

3) Este dinheiro é entregue ( se e quando for entregue), mas não é monitorizado. O que as empresas vão fazer com ele, nunca iremos saber. Apenas saberemos das suas intenções. Para Rui Barreto a ordem é dar-se. Não importa as condições das empresas ou se elas aguentam 1\2 anos. Nada. Diz que é para manter postos de trabalho!!!! Mas não é para isso que está lá o instituto de emprego e a Seg. Social ? Ou estes já não têm dinheiro ? Eu não me preocupo com as pequenas, fico é preocupado com as grandes. Porque recebem mais mas também porque as grandes conseguem aquilo que as pequenas não têm: acesso á banca. E têm assessores no GR.. O que implica não necessitarem tanto deste fundo ( o crédito na banca da carpintaria do João, não é igual ao do Grupo Sousa, por exemplo, isto se o conseguir ). Assim como RB pretende, “o GR não obriga a ensinar a pescar, dá o peixe" ( sobretudo aos graúdos ) e não cria factores de competitividade e de distinção entre quem fez mais e quem apenas fez os mínimos (ou nada como se irá ver futuramente).

4) Mas RB sabe que este dinheiro não é regional, mas sim nacional ou com o seu aval ( por causa dos limites de dívida da Madeira ) , um empréstimo bancário como refiro em cima e como tal, sujeito ás regras de endividamento. É nesta óptica que se compreende RB quando diz  “ ….que a República não atrapalhe”. Omite e desconsidera todos. A quem devia pedir, a quem devia servir e quem vai pagar: Ou seja nós.

5) Note-se que este fundo (literal) vale mais que o valor orçamentado para a Sec Reg. de Economia no OR de 2020. Portanto, se fosse retirado do OR, existiram necessariamente Secretarias afectadas. Iríamos para um rectificativo, coisa que o GR nunca fez, não quer....e talvez não possa ( atenção ao limite da divida ). Ou então e como usual, será apenas mais um valor escondido na imensidão de valores escondidos.  Como as contas são feitas em Excel, vão aparecer novos meios, fundos......outras variáveis que o GR sabia, previa, mas que o comum dos mortais....ignorava.

Rui Barreto com este fundo (literal) tal como pretende, vai criar mais dependência, nada exigindo em troca. Apoiar é bom, mas deve-se saber apoiar e quando apoiar. A Região necessita de maior diversidade, maior qualificação, maior competitividade, coisa que RB  e o GR não exigem neste fundo. RB não percebeu, aliás ninguém no GR percebeu ainda, que se deve fortalecer o tecido empresarial da Madeira, não nos grandes, mas nos pequeninos. Não leram Keynes a fundo, nem leram Adam Smith e nem conhecem Robert Solow ( leiam este e também um pouco de Marx, quanto baste ). Apenas as teorias absurdas de inventêz caladêz jardinêz, albuquequêz e agora barretêz.

Este fundo, está feito apenas para ser acessível ( e manter dependente ) para os que tiverem como conselheiro, assessor, consultor,... aqueles que antes e depois de estarem no GR, na ALRM foram advogados, contabilistas, "economistas" e gestores das causas perdidas, do GR ou do psd-M ( agora também do cds-M ). Daqueles que têm, usam e abusam dos acessos privilegiados ao poder. À informação. Que estão no poder agora, mas que amanhã estarão nas empresas que "ajudaram" no GR. Dos que estão nas empresas e amanhã no governo. Enfim, dos mesmos do costume. E tão certo como depois da noite vem o dia, no final quem vai ganhar são os "assessores" , sempre os mesmos e quem vai pagar.... seremos todos nós.

Ultima hora
1) Das 27 000 empresas da Região !!!! cerca de 3 000 tiveram acesso a este fundo e dos 100 000 000 € ( cem milhões de euros ) parece que 80 000 000 € ( 80 milhões de euros ) já foram tomados. Ficam para já 20 milhões para 24 000  empresas. Foram 80 000 000 ( oitenta milhões ) para 3 000 ( trtês mil empresas ). Tenho razão. As regras não são para serem cumpridas e quem levou os 80 000 milhões foram.... as de sempre. Todos os animais são iguais, mas uns são mais iguais que os outros. RB vai permitir ? Ou cumpriu o que se lhe exigiu ? Prestar-se a um espectáculo deplorável.

2) A imprestável Seg Social distribuiu 5 milhões de euros por 11 instituições, cada uma por concelho, que diz Augusta Aguiar, conhecem mais a realidade local que as câmaras, por exemplo. Elas distribuem, mas como querem, claro. Por isso, por exemplo em Câmara de Lobos, é mais fácil um "camelo passar pelo buraco de uma agulha" de que quem devia, pessoas, receberem ou terem acesso a estes fundos de apoio. O engraçado é que das pessoas, estas "instituições de solidariedade" também já passaram para as empresas.  Continuo a ter razão. Apenas para alguns. Parece que só falta exigir-se o cartão do psd-M.

Uma canção..... a do Milhãozinho. A letra está aqui. A melodia no fundo. 
Não sei se se lembram daquela canção do Herman José “dá-me cá um beijinho e a seguir dá outro” .

 

As vozes
Povo
As nozes 
Rui Barreto
Regime:
Ai ó barreto, barreto, barreto
Que só dizes disparates, disparates, disparates
É tanta asneira, tanta asneira, tanta asneira
Que p'ra tirar tanta asneira não chegam cem alicates.

Mas tu não sabes, tu não sabes, tu não sabes
Que isso de dar um dinheiro já é um costume antigo

Ai quem te disse, quem te disse, quem te disse
Que lá por dares um dinheirinho tenho de casar contigo...

Oh chega cá...
Não vou
Tu és tão lindo.  (RB virando-se para o regime )
Pois sou
Então dou-te um milhãzinho
Pois  dás.

( o povo para RB e Regime )
Interesseiros, convencidos, ignorantes,
Foragidos, suas melgas,
São o regime mais palerma, cameloide que eu já vi,

Mas por que raio é que tu queres
O milhãozinho só p'ra ti?

(RB para o regime )
Ora toma lá mais um milhão e a seguir levas outro,
Depois mais um que só dois é pouco
Ai eu gosto tanto e é tão docinho
E no entretanto leva mais um milhãozinho (bis)


Para ajudar ( toca a cantar ) Herman José .. . a canção do beijinho


Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.