O partido do quase é medroso


A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes, Churchill 
Vem nos manuais que um bom político não pode mostrar medo. Deve ser reservado,  ser humilde, deve saber usar a autoridade não o poder, deve ser paciente mas rápido na execução, deve ser gentil, deve respeitar todos, deve ser responsável, deve ser altruísta, deve saber perdoar, deve saber ouvir e saber (quando ) decidir, deve conhecer o compromisso, deve ser confiante e instalar confiança na população. Também deve saber priorizar as necessidades do povo, agir em conforme e criar um laço com o mesmo para o ajudar a atingir esses objectivos. Sobretudo, deve trabalhar com todos e para todos, não apenas para alguns. Ser honesto e ter um sentido ético elevado, não é condição para um político, porque essas qualidades devem ser inatas em todos. E saber que as decisões são solitárias, os sucessos são de todos e os infortúnios dele. 

Para se ser um bom político tem que saber-se ser líder. Leia-se James C. Hunter e teremos uma boa ideia do que é ser líder. Conheça-se Max Weber e saberemos o que é ser um bom político.
A história ensina-nos que o homem não teria alcançado o possível se, muitas vezes, não tivesse tentado o impossível, Max Weber“
Tudo isto vem a propósito do PS-M. Quer se queira ou não, o PS-M é o único partido regional que pode tirar a maioria ao psd-M. Em coligação, obviamente ( o psd-M pode ir sozinho ou levar o inexistente cds-M para usar os poucos votos que não elegem deputado, mas podem ajudar a eleger um, coligados de acordo com o método de Hondt ).

O psd-M ao longo dos últimos 45 anos, sobretudo depois de o dinheiro, o "eldorado" terminar, tem sistematicamente criado crises artificias, tem feito sucessivos "bluffs", ameaças e tem ganho com isso. Ou porque Lisboa não se tem preocupado com o que se passa aqui, ou porque a oposição ….não responde, não é firme, não existe.

O PS-M é o segundo partido regional o que implica que seja LÍDER da oposição no sistema político regional. Mas infelizmente, liderança, não a vemos. São uns frouxos. Uns medrosos. Estão à espera que Costa faça o serviço deles, ou talvez que JMR lhes dê um brinde. Estão a contar que o poder lhes caia nas mãos. São um partido dividido em tendências e egos pessoais, Não fazem oposição, fazem "cócegas".

Querem ser gentleman´s numa ilha onde o opositor directo é rufião. Querem ser betinhos, quando combatem velhacos. São uns queques, uns copinhos de leite quando têm malandros para combater e deviam ser fortes e resolutos quando afinal são fracos. O PS-M parece estar destinado a ser o partido do quase. Quase ganhava, quase iremos ganhar, quase seremos os maiores, quase formaremos governo.... quase, quase, quase... .
Neutro é quem já se decidiu pelo mais forte, Max Weber
Antes, com AJJ, o PS-M era o partido dos "socialistas" do Regime, o senta Bobby, senta Tareco, porque ficava bem a AJJ ter, vá lá, socialistas como bibbelot. Hoje, este PS-M parece continuar numa "via" muito próxima do antigamente. Os personagens mudaram é certo, mas as ligações óbvias ao Regime continuam lá. Por isso, aquele ditado português "entradas de leão, saídas de sendeiro" ficam-lhe bem. Porque é sempre assim antes de uma eleições.

O PS-M é também o partido dos (muito ) líderes. O líder de trazer por casa, o líder de trazer por fora, o líder da  ALRM, o líder das câmaras, os líderes que têm negócios com os GR´s, os líderes diplomatas, os líderes …. São tantos que parece-me que naquele partido, cada cabeça, sua liderança.

Foram buscar uma pessoa de sorriso fácil, cativante, com um "modus operandi" distinto do cinzentismo reinante, antigo professor e vencedor da câmara do Funchal como independente, para "proto, quase Líder" ( lá está, quase ). Mas, aqui está o "busílis" da questão. Em vez de se rodear por pessoas de ruptura com o passado, com o regime, deixou-se ou foi obrigado a colocar o regime, o lobo, no seu covil. E o resultado é o que vemos. O que assistimos. Podia ser o líder da ruptura. Fica-se parece, por ser líder da renovação na continuidade. Aliás, será mesmo líder ? Ou uma oportunidade que quase, quase ia lá ?

Em vez de tentarem com toda a oposição, criar condições para uma frente única para combater o regime, ganhando o GR, saneando o GR, auditando contas e chamando a policia, este PS-M prefere ficar-se pelo básico. Serem o segundo partido, o primeiro dos últimos. Mesmo agora quando o GR treme por todos os lados e "cai-que-não-cai" e poderem levar talvez o brinde, potencialmente "brilhante" de um JMR enviezado.

Se estão a contar com o CAOS na Madeira, terem APRAM`s e outras que tais sem dinheiro para despesas, esperarem por Junho para o GR tentar pagar ordenados e subsídios de férias, por Julho para as moratórias que têm de pagar, por Agosto para os empréstimos que não podem amortizar, por Setembro para os,livros que não podem pagar no inicio das aulas, para Outubro para juros .... temos pena, o PS-M já vai tarde porque o regime terá tempo para inventar, arranjar um rectificativo "à moda" e culpabilizar Lisboa de novo ( vide recentemente Prada, Calado, Albuquerque, Ramos, Rodrigues, Melim,..... ) 

Recentemente o psd-M esticou de novo a corda, ameaçou com a ruptura e de novo com o continente. As declarações do deputado Prada envergonham todos, quando diz "chega de estarmos ao lado de um país que não está do nosso lado". Prada não tem vergonha e estas declarações são sediciosas para a unidade nacional, são torpes porque são mentirosas, são incendiárias e são ameaçadoras. Como ninguém do psd-M se desmarcou, caberia ao PS-M dizer basta e se quiserem ruptura,façam-na, porque nós seremos os primeiros a combater tal. Mas o que o PS-M fez ? Depois de 48h a "pensar" sobre as ameaças de ruptura do regime, dois co-líderes!!!! fazem uma conferência de imprensa a dizer " com o rectificativo " é que vai ser.  "Cauda/rabo" colocado entre as pernas e .... outra oportunidade perdida ( Pereira e Cafôfo parecem aquelas meninas do meu tempo na escola, vão aos lavabos aos pares.Elas para conversar, eles para se vigiarem e aparecer nas fotos).

O PS-M não deveria criar uma crise, mas obrigar o psd-M de ter o ónus de criar uma. De mostrar o bluff. Estão com medo de perder as eleições ? Lembro-lhes o líder deles, Mário Soares, que perdeu uma eleição, foi ostracizado pelo partido, para ganhar uma Presidência.

{ Hitler fez muitos bluffs até a II WW começar com consequente destruição da Europa e parte do mundo. Mas como seria tão fácil apeá-lo se em vez de um Chamberlain , tivesse o Reino Unido um Churchill como primeiro-ministro} 
Somente quem tem a vocação da política terá certeza de não desmoronar quando o mundo, do seu ponto de vista, for demasiado estúpido ou demasiado mesquinho para o que ele deseja oferecer. Somente quem, frente a todas as dificuldades, pode dizer ‘Apesar de tudo!’ tem a vocação para a política, Max Weber
Deputados como Sofia Canha, Elisa Seixas, Luísa Paolinelli, Sílvia Silva, Victor Spínola ( muito bem os posts que tem colocado no facebook na saga "Sabia que" que deveriam ser aproveitados para cartazes ou muppies e espalhados pela ilha ), Miguel Iglésias, Rui Caetano.... estão a fazer diferença no hemiciclo. Mas, para o povo, que desconfia da ALRM e que foge dela como se de peste tratasse, não basta.

Como olhar para o discurso ultimo da deputada Olga Fernandes, que sendo mais "centenista" que Centeno, no alto da sua verborreia sentenciou todos os portugueses e madeirenses a "chulos" porque, vejam só " todos querem pagar menos [IRS] e serem reembolsados ao máximo". Olga Fernandes não precisa de mais reembolso de IRS porque a empresa do regime onde é sócia e o marido e o Sousa do JM já recebe demais do regime. Mas nós ,,,não. Olga Fernandes devia era olhar para os professores da Madeira e chamá-los à atenção quando pedem mais dinheiro porque "esforçam-se" mais ao dar aulas em casa por video-conferência ou quando pedem dinheiro para os seus equipamentos de informática pessoais, por estarem a ser utilizados naquelas aulas. Não o faz porque é/foi professora ? Porque dali vêm votos ? Mas se Olga é "esperta" para dizer o que disse, deverá ser esperta para saber que o que os professores pedem é .... hilariante, egoísta. Tentarem ganhar dinheiro com a pandemia.
Ao psd-M dizer ok a isto é normal. Porque dizem que sim, gozam com o sofrimento dos outros, das mortes de todos, mas amanhã esquecem-se do que disseram ( como aconteceu aos médicos e outros profissionais de saúde) . Mas o PS-M deixar a sua deputada dizer "boutades" e serem omissos neste caso, por exemplo , é mau demais.

Cafôfo, se quer ser líder, o PS-M se quiser liderar a oposição, deviam saber que para sê-lo é preciso coragem. Mostrarem que são os primeiros "inter pares". Darem o peito às balas, tomar às vezes as opções mais difíceis, ser confiante nelas, não ser cobarde e nunca trabalhar de acordo com as conveniências. Serem responsáveis e combaterem este regime de baixo para cima. Fazerem por ganhar a confiança das pessoas, como Cafôfo já soube ganhar. Mas Cafôfo pode ter agora a sua ÚLTIMA oportunidade, Porque este GR como referi em cima, treme " como varas verdes". Um GR a prazo, aposto. Mas se Cafôfo não sabe fazer...saia do caminho e dê lugar a outro. Não aos outros do regime. Percebam.

Afinal é o PS-M um partido de corajosos, ou apenas de fracos ? E os líderes ? Quem são eles ? O PS-M não se esqueça que um líder fraco, medroso, "faz fracas as gentes fortes". Também não se esqueça que hoje pode ser o segundo, mas amanhã com um partido regionalista suprapartidário...será o "quase" ad eternum. E as pessoas, meus senhores, já pensam nisso. Basta um empurrão e tempo.

Zach Williams - Fear Is a Liar

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.