O fantasma da PIDE ainda assombra a nossa sociedade


Durante as décadas da ditadura salazarista existiu em Portugal uma polícia política, a PIDE, cuja função era vigiar, perseguir, prender e punir todos/as os/as que expressassem críticas em relação ao regime ditatorial vigente. Ora, para além dos agentes oficiais da PIDE, essa polícia política tinha também informadores no seio da população civil, informadores esses que, além de serem pagos por denunciar os seus concidadãos, auferiam ainda de vantagens e de facilitismos dentro da burocracia e das estruturas do Estado Novo (por isso rio-me sempre que ouço dizer que no tempo de Salazar não havia corrupção…).
Vem esta rememoração histórica a propósito do 25 de Abril, mas também a prepósito de um episódio por mim testemunhado hoje na baixa funchalense. Tendo saído de casa para comprar umas faltas alimentícias de última hora, e estando uma manhã esplêndida, resolvi ir a pé até à baixa e tentar dar uma caminhada a pé pela avenida do mar, sempre circulando, ao aproximar-me da "praia nova" do 'aterro' apercebi-me que três cidadãos de alguma idade (duas senhoras e um senhor) faziam aí praia e nadavam, tendo as respectivas toalhas a uns bons 25 metros uns dos outros… Tal situação não me chocou nem me incomodou. Já um cidadão que também passeava na avenida, parou e todo irritado começa a acenar e vociferar para uma das senhoras que estava nadando que "tinha de sair do mar e da praia" que "era PROIBIDO!!", e que iria chamar a polícia, acto contínuo, continuei a caminhar e quando dois minutos depois voltei a passar em frente à praia estavam OITO agentes da PSP na dita obrigando os TRÊS cidadãos idosos a se vestir e sair, ainda vociferando que os transeuntes que tinham parado para assistir a tão 'feliniana' ridícula cena tinham que circular…
Porque carga de água praticar ciclismo, caminhada e corrida é algo permitido, e praticar natação, desde que os distanciamentos sejam observados, não?! É ver magotes de corredores, por vezes nem respeitando distâncias, pelas nossas estradas fora, mas nadar é que não! Não percebo…
Tudo o que assisti, ainda por cima no dia que ocorreu, faz-me defender ainda com mais força que NUNCA FOI TÃO IMPORTANTE COMEMORAR ABRIL COMO NESTA ALTURA. A Liberdade é um valor que para muitas pessoas nesta sociedade pouco vale…  Muitos dos nossos concidadãos estão e estarão prontos a sacrificá-la em nome de controlos securitários permanentes.
A nossa democracia está em perigo não só por causa de movimentos políticos populistas, mas por causa de "nós próprios", por causa de cidadãos liberticidas e autoritários como o 'informador' que não sendo em nada prejudicado pelo acto das três pessoas sentiu que tinha que exercer poder sobre a liberdade delas, e sentiu prazer em ver os instrumentos públicos cercearem a liberdade dos outros. Esta mentalidade autoritária 'pidesca' está ainda muito presente na nossa sociedade, nas mentes de muitos de nós, na cultura de muitas instituições …
É esta mentalidade autoritária, que grassa livre e satisfeita em alturas como a que estamos a viver, que é o principal inimigo da democracia, que se incomoda que Abril seja comemorado, e que quer todos fechados em casa, com medo, negando a vida e a natureza, para que tudo seja CONTROLADO, para que "QUEM POSSA MANDAR MANDE E PARA QUE QUEM DEVA OBEDECER OBEDEÇA": frase de Salazar…
25 DE ABRIL HOJE E SEMPRE !
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.