Cartas na Mesa


Implementar e fazer actuar as leis anti-corrupção que tardam; libertar o Rui Pinto e usar as suas descobertas; acabar com a "imunidade" das elites e da banca; meter juízes e justiça na ordem e a funcionar célere; "reeducar" os advogados na sua deontologia para não serem como determinados jornalistas que têm um pé em todo lado e pervertem o sistema e as regras; reduzir o amontoado de gente e organismos que fazem exactamente a mesma coisa e pô-los a produzir; não hostilizar o mérito, a selecção natural e o conhecimento, ostracizando como se fossem uma ameaça; não preencher os lugares com incompetentes, lambe-cus que geram um uníssono e que, nesta hora, usam a emoção em vez da clarividência e, mais política em vez de governação. Isto e muito mais, para não me alongar, ajudava imenso ao respeito que devem ter para receber mais dinheiro que vai cair nas mãos das máfias do costume. Repetidas vezes acontece e caem sempre, são usados e depois de abusados ninguém gosta de reconhecer que foi levado pela certa. Sem mais remédio deixam-se com os carrascos.

Quem não gosta de regras nunca elevará a condição do seu povo e não construirá a Europa solidária que invocam. ¿Quem recebeu 35 anos de subsídios e não está preparado para este momento e socorrer os seus cidadãos? Deveriam já estar a ajudar outros mais fracos e não andar de mão estendida. ¿O que foram os 35 anos de subsídios da UE que não solidariedade? ¿Quem falhou quando lhe foi entregue o dinheiro para orientar a sua política, como quisesse, e o que construiu? ¿Pegamos na Madeira para ilustrar? ¿Pegamos nestes últimos 5 meses? ¿Imagine-se contribuinte líquido, ponha-se do outro lado, tinha um IRS elevado e parte do dinheiro ia para um sistema corrupto, ficaria satisfeito? ¿Que orgulho teria? Olhe que indicar alguém ou promover algo de sucesso enche de orgulho e tornamo-nos mais fortes, por outro lado, o coitadinho sempre atrelado a "cramar" mas, nunca a se organizar, cansa. ¿Quem melhor o preparou para a vida, o professor exigente ou o "gajo porreiro"?
Poderão se informar de mais neste (link)

Os contribuintes europeus (per capita) que mais pagam para a "solidariedade" europeia:
A Comissão Europeia deseja aumentar substancialmente a contribuição holandesa para o orçamento da União Europeia nos próximos anos. A contribuição da Holanda, no próximo ano é de 8,1 bilhões de euros. Se a Comissão Europeia conseguir o que quer, isso aumentará para 13 bilhões de euros até 2027 - um aumento não inferior a 60%, confirmou o Ministério das Finanças à RTL Z, após relatórios no Financieele Dagblad. (poderão comprovar o dito neste link)
É preciso perceber o que os outros andam a dizer, sem emoções, e que dão aos seus melhor qualidade de vida. Há políticos que não estão acostumados a ter insucesso na sua constante fórmula de perverter, usar emoções e fazer política barata. Guiem-se pelos factos, estão à vista.
Números da agência nacional de estatística CBS mostram que a Holanda contribui mais por cabeça da população para os cofres da UE do que qualquer outro país, embora a Alemanha seja o maior pagador líquido, com uma contribuição de € 15 bilhões, em 2020. Isso deve subir para € 33 bilhões em 2027, disse o FD. (poderão comprovar o dito neste link)
Não sabem negociar porque, certamente, estão desprovidos dos melhores, ninguém pode saber de tudo mas tem a CULPA dos assessores que escolhe, sempre como prémio e não adição de GNOSE. Precisamos de GNOSE para saber lidar com os outros que estão noutra realidade e encontrar um denominador comum de entendimento. Decidam se querem andar na corrupção, nas lavagens, nas máfias e nos parceiros de terceira categoria ou se querem aproveitar o momento para fazer um up-grade no país. Estão só a lutar por uma Europa a duas velocidades e agora é a hora de engrenar a marcha. Quem tem a mão na alavanca das velocidades não são os outros. ¿Será que o sul da Europa não precisa de um "João Lourenço", em vez de encantadores de emoções para continuarem mal preparados, quando o mundo está cada vez mais desafiante na saúde, no clima e na economia? Qualquer um deles desfaz-lhe a vida em segundos. Mas eu não percebo nada disto, sigam com ilusões. Faz impressão a quantidade de vezes que vos enganam.

35 anos depois de subsídios, o desenvolvimento social e humano deveria ser outro nalguns países. "Solidariedade", também é defender as populações dos seus Governos. ¿Quem preferiu outros investimentos em vez da Saúde Pública? ¿Quem é que responde integralmente ao Covid-19 neste momento? ¿Quem cortou o dobro na Saúde do que foi pedido na altura pela Troika (link)? Alguém vai perguntar se não há responsabilidade criminal de alguns governos no fim desta pandemia.

Os espanhóis deram-nos muito, gosto da interrogação invertida para saber que vou fazer uma pergunta. ¿Mas não será que foi apanhada com a Saúde da Madeira? ¿A Itália já foi um grande império (Romano) com uma organização estupenda mas, já ninguém se lembra do regabofe antes da crise epidémica e que é um país com economia capaz de arruinar a “Europa”? Os Gregos foram berço da civilização ocidental e estão a ser sensatos, vá lá! Portugal descobriu novos mundos. ¿Mas para onde vai e com quem? A emoção branqueia muita coisa, voltem à racionalidade, é ela que constrói a solidariedade, não substituam 35 anos por um breve jogo político que disfarça as falhas. Tenham coragem e limpem, façam up-grade, sem nacionalismos e xenofobia.

Cuidado com a libertinagem no dinheiro, a população acaba sempre por pagar, ele não cai do céu nem vem de um saco sem fundo. Quem não teve problemas com as Justiça já quer novas aventuras ... (link).

Agora vou recolher aos aposentos e observar. Boa sorte! Eu já escolhi o meu futuro, não é junto dos ilusionistas de falsas lamúrias.
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.