Augusta Aguiar, a dependente.

Minha religião? Eu sou um elitista, Brendan Behan
Há uns anos atrás, talvez há 15\18 anos, um empresário da Madeira fazia questão de entregar pessoalmente e assinar os cheques dos ordenados aos seus empregados, que não eram poucos, talvez 2\3 dezenas. Porque como dizia ele, assim sabiam quem manda. O mesmo faz o GR.

Chamaram-me a atenção de que no meu artigo, "Obviamente, demitam-se" não tratei com o devido valor o que se passa na área social na RAM e na tentativa de condicionamento económico ou dependência, por parte do GR aos Madeirenses, especialmente os mais necessitados, aqueles que com os seus votos podem manter este estado de coisas, ou mudá-lo. O GR usa todos e mais alguns organismos institucionais na sua órbita directa ou indirecta, como são o caso da Segurança Social, as IPSS´s, a Causa Social, o Banco Alimentar, o Instituto de Emprego ... Casas do Povo e tantos outros, para pressionar, dizer onde votar e porquê. No fundo e como no exemplo de cima, querem mostrar quem tem o dinheiro e passa o cheque (mesmo que este venha de Lisboa).
Aquele que dependeu apenas de si mesmo e pode, em tudo, ser tudo para si, é o que se encontra em melhor situação, Arthur Schopenhauer
Abramos aqui um parêntesis:
A Dna. Maria ... institucionalizada num Lar da zona Oeste, teve a grata surpresa de receber, ela e outros utentes daquele Lar e Centro de dia, cerca de 1 semana antes do 22 de Setembro, um conjunto de "voluntários" para os informar sobre as eleições de 22 e respectiva importância. Digo "voluntários" porque também o Sr. Francisco reparou na indumentária laranja deles. Aliás, dizem ambos que claramente a bandeira estava à vista, como um saco e os autocolantes. A direcção do Lar deixou, aliás um representante estava presente e finalmente mostraram onde e como a cruz era colocada, mostrando  um boletim com a cruz no psd-M.

No Lar da Bela Vista, a Dona E. e o Sr. António, também tiveram a visita de algo parecido, segundo me contaram. Já em Machico, a ajudante domiciliária, melhor a equipa das ajudantes domiciliárias, não tiveram pejo de claramente dizer ao Sr. Vasconcelos onde deveria votar, porque "os outros nada vão fazer ou são piores". 
A maior alma é sempre insignificante ao pé da pequeníssima alma em cuja dependência está, Camilo Castelo Branco
No Funchal, na escola Francisco Franco, várias pessoas foram acompanhadas à urna por "gentes" laranja e até houve um governante a ir com uma outra, para a cabine de voto. O mesmo aconteceu em Câmara de Lobos e claro na Calheta. Penso que a prática deve ter sido assim por todo o lado.

O Sr. Humberto, a trabalhar em UK  relatou que alguém quis que os pais dele assinassem procuração, para que um secretário da junta do psd-M fosse com eles votar. O mesmo acontecendo com a Dna. a trabalhar nos Horários do Funchal. 

Porque só agora falo nisto? Porque só há coisa de 1 mês tive a certeza de tal ter acontecido. E agora, propiciou-se. Aliás, situações destas, aconteceram um pouco por toda a ilha. O Sr. ....., taxista na zona Oeste, foi contratado para ir buscar pessoas com o carro/carrinha, ia alguém com ele do psd-M da zona e bandeira, folhetos, autocolantes ... à vista. 
Fecha parêntesis

Há duas (2) semanas, no plenário da ALRM, Augusta Aguiar referiu que não é necessário, reparem nisto “aumentar o salário mínimo” porque depois existem um conjunto de ajudas que as pessoas podem requerer". Por outras palavras, nas entrelinhas: as pessoas se quiserem, podem completar o seu ordenado, com ajudas extra, dada por nós!!! Para quem não percebeu bem: VAMOS CRIAR UMA CLASSE DE DEPENDENTES ECONÓMICOS, DE NÓS, GOVERNO REGIONAL E HOJE, COMO AMANHÃ, PRÓXIMAS ELEIÇÕES POR EXEMPLO, VAMOS RECORDAR-VOS ISSO. Um povo ameaçado, os mais pobres e necessitados, por uma Secretária sem nenhum respeito por aqueles que deviam ser protegidos pela sua Secretaria. A Segurança Social e Secretaria da Inclusão no seu melhor: fazer pressão política, para obtenção de futuros/atuais dividendos ( pelo menos calar o povo )
Se Deus criou as pessoas para amar e as coisas para cuidar, por que amamos as coisas e usamos as pessoas?, Bob Marley
A Causa Social na Madeira para que serve? Não sabemos. Na sua génese é para ajudar a população menos protegida e mais necessitada, na procura de empregos. Mas na prática o que ocorre dizer, é que foi mais uma “manhice” para subcontratar e manter pessoas na precariedade. Um requinte, para manter pessoas dependentes dos desígnios de alguém, usando os contratos a termo como arma social e política. Mais um meio para  calar um povo.
A independência foi sempre o meu desejo, a dependência foi sempre o meu destino, Paul Verlaine
A Segurança Social, queixa-se de não ter mãos a medir. Isto indicia duas coisas. A primeira que existe neste paraíso laranja, muitos necessitados (um contrassenso para o GR)a segunda é que na segurança social existem muitos “jobs for the boys” que nada fazem. Chefiam e ganham. Augusta Aguiar permitiu isso, como permitiu segundo palavras dela, em 2018 e 2019, anos do seu mandato como presidente da Seg. Social, prescreverem 51,7 milhões de euros de dividas(ou cerca de 50 milhões em cada um daqueles anos?) Também vai responder ao TC ? Ou aligeirou a carga para os ombros de quem ficou lá ou a substituiu? Sim, ela tem uma desculpa: diz que arrecadou mais !!!! Isto faz-me lembrar aquela anedota: O homem morreu, porque a ambulância não chegou. Mas morreu na praia, com uma caipirinha na mão, uma boazona na outra. Morreu feliz.
Eu sou muito bonito para cuidar da papelada, Dr. House
Também soubemos , que as IPSS´s vão deixar de ter uma tutela, a Segurança Social, mas várias e de outras secretarias. Cheira-me a mais “boys para jobs” em cada secretaria que vai tutelar as IPSS´s , naquela área e ausência e dispersão de autoridade (que já não era muita). Uma rebaldaria , onde todos vão mandar, nada fazer e as IPSS´s e outros, cada vez mais a fugirem a regras e boas práticas.

Já agora e isto é para memória futura, Augusta Aguiar lembra que uma IPSS, pode ter as contas negativas mas legais. Portanto, esta alma de Deus, não se pergunta PORQUE É QUE AS IPSS´S APESAR DE TODAS AS AJUDAS DO GR E MUITAS COM BENS ENTREGUES PELOS UTENTES,  continuam a ter resultados negativos? E vai continuar entregar dinheiro? Não fiscaliza? Ou agora será, não fiscalizam? Percebe-se agora porque dividir as IPSS´s por várias Secretarias. Assim ninguém é culpado.  
Quem dedica seu tempo em si próprio não tem tempo para cuidar da vida alheia, Priscila Murad
Augusta Aguiar, AA, é dependente. Não é alcoólica anónima, AA, mas é dependente e não tem pejo de dizer que quer criar dependência económica na Região. Porque só assim ela mantém a sua dependência, dos seus e do Regime, à custa da dependência que quer criar nos Madeirenses.

OBS
Parte deste artigo foi publicado na GNOSE em Obviamente, demitam-se

Porque muitos estão silenciados e querem-nos silenciados. A homenagem
Simon & Garfaunkel - Sound off Silence
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.