A Esquerdalha é mais social democrata do que o PSD-M

O PSD-M é uma caricatura dos princípios de Francisco Sá Carneiro.
O caro leitor(a) que me imagine de esquerda e odeie-me. Com toda a força.

Pejorativamente trate-me abaixo de cão com um raivoso "esquerdalha", esse que muitos avançam num simples debate porque se sentem impotentes e minúsculos, restando a ofensa. A baixaria, nos nossos dias, compensa a falta de ideologia nesses recrutados por um qualquer anormal para ganhar eleições internas e depois, aguçada a cenoura do emprego, sobe a parada por uma eleição regional. Compensa a falta de ideias e argumentos, de um registo histórico que saiba respeitar. Aquele "esquerdalha" sai das entranhas, porque o debate político é entendido como um roubo ao seu emprego. Exactamente, a coisa ferve porque a política passou a ser emprego e não uma dádiva de conhecimentos para o bem comum, por tempo justo e determinado, e não na forma entendida pelos privilegiados que constam do JORAM. Assim se conspurca a política com ódio.

Sou um esquerdalha e pretendo escaqueirar.

Convido os social democratas que não se revêm no liberalismo parasitário do PSD e PS, e ainda numa Aliança que não consegue ter os princípios de Sá Carneiro, ao se ajoelhar ao PSD-M, a votar numa outra esquerda social e democrática. Tudo isto lhe começa a parecer sinistro, onde vai bater?

Confesso que lhe vou atormentar preconceitos. No estado actual dos partidos, talvez precisemos de olhar mais para as pessoas, a qualidade do líder e não cegamente no partido. A clubite, a partidarite, o amiguismo, o compadrio, a corrupção, etc, minam a democracia.

Escolhi uma boa quantidade de frases de Sá Carneiro porque é a antítese do PSD Madeira actual. quando chegar ao fim, respire fundo e faça chegar oxigénio ao cérebro, enfie-se numa introspecção. Onde raio estamos?

Não há futuro económico e social possível quando o problema principal não é o excesso de consumo privado, com o que nos querem convencer, mas o excesso de consumo público, a monstruosidade das despesas públicas."
Francisco Sá Carneiro, comício em 1978

O nosso Povo tem sempre correspondido nas alturas de crise. As elites, as chamadas elites, é que quase sempre o traíram, e nós estamos a ver mais uma vez que o Povo Português foi defraudado da sua boa-fé"
Francisco Sá Carneiro, congresso em 1978

Nós vivemos num país de inutilidade pública, inutilidade pública que custa caríssimo e que afinal, agora, querem que continue a proliferar, obrigando os particulares a suportar todo o peso da crise económica."
Francisco Sá Carneiro, comício em 1978

Sectores como a saúde, educação e outros fazem parte das atribuições e são responsabilidade do sector público."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

Somos um partido de esquerda não marxista e continuaremos a sê-lo."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

O valor essencial da liberdade sem a igualdade torna-se aristocrático privilégio de uns quantos."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia Nacional em 1971

Quem quer constituir família procura casa e emprego e não os encontra. Os que trabalharam toda uma vida veem-se, no fim dela, condenados a morrer à míngua."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia da República em 1978

Sem um crescimento económico não sairemos da actual situação de penúria que impõe, sobretudo às classes mais desfavorecidas, uma vida abaixo do nível a que se tem direito."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

Nós, Partido Social Democrata, não temos qualquer afinidade com as forças de direita, nós não somos nem seremos nunca uma força de direita."
Francisco Sá Carneiro, congresso em 1978

Sempre que há concentração de poderes abre-se a porta ao autoritarismo, precursor da ditadura, aniquiladora das liberdades."
Francisco Sá Carneiro, comício em 1975

Não somos nem queremos ser um partido de quadros ou de elites."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

O Povo está farto de desordem, de anarquia e de projectos utópicos que o matarão à míngua."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

O fim principal do poder político é o serviço da pessoa. O Estado está ao serviço da pessoa."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia Nacional em 1971

A igualdade de oportunidades, independentemente dos meios de fortuna e da posição social, é cada vez mais um mito, designadamente em sectores como a saúde, a habitação e o ensino, onde tudo se degrada a um ritmo alucinante."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia da República em 1978

Há uma crise económica e social de proporções alarmantes para as nossas possibilidades efectivas de momento; há a própria crise da nossa identidade como Povo."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia da República em 1976

O que há é que impor uma disciplina de actuação do poder económico e dos investimentos, para que ele seja feito com proveito de todos nós e não apenas para os detentores desse poder."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

Pouco importa às pessoas saber que têm os direitos reconhecidos em princípio, se o exercício deles lhes é negado na prática."
Francisco Sá Carneiro, Assembleia Nacional em 1971

A pessoa humana define-se pela liberdade. Ser homem é ser livre. Coartar a liberdade é despersonalizar; suprimi-la desumaniza. A liberdade de pensar é a liberdade de ser, pois implica a liberdade de exprimir o pensamento e a de realizar na acção."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1969

Um socialismo que respeite a liberdade e a dignidade da pessoa humana e que seja, portanto, nesse aspecto, um socialismo perfeitamente consentâneo com o personalismo, parece-me indispensável no mundo de hoje."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

O PPD nunca foi um partido de patrões (...) Desde o início tivemos adesão de larga camada de trabalhadores que se têm multiplicado na sua acção de implantação do partido."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

Os problemas económicos são os que mais nos preocupam: o custo de vida, o desemprego, o bem-estar das pessoas. E também a eficácia administrativa, a organização do Estado no sentido da ordem democrática."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

O socialismo democrático, na Europa, enraíza na ética cristã, no humanismo e na filosofia clássica."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

É indispensável conciliar o liberalismo político com o intervencionismo social e económico."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1973

O voto só é perfeitamente democrático se for livre e racional, o que supõe uma igualdade tendencial da informação e do poder económico e social dos eleitores e dos elegíveis."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1974

Adoptando-se o modelo de desenvolvimento capitalista sem instituições democráticas, sem liberdade política, caminharemos para um despotismo violento que nem por ser dourado por melhores condições económicas deixará de ser menos insuportável."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1973

A oposição é, para o poder em exercício, estímulo; e, para o interesse comum, factor de progresso."
Francisco Sá Carneiro, imprensa em 1973

Imagino que a Esquerdalha defende muito mais os princípios de um social democrata de gema do que o PSD Madeira, uma elite nos antípodas do social e da democracia que governa exclusivamente para si e os seus. As voltas que o mundo dá!

Hoje em dia, Francisco Sá Carneiro
é um escape para o vazio do
PSD nacional e da Madeira
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.