Eleições para o Parlamento Europeu

As próximas eleições para o Parlamento Europeu acontecerão num ambiente marcado por uma grande instabilidade e incerteza.

Assume especial gravidade a investida do imperialismo, particularmente pelo imperialismo norte-americano, que insiste na ingerência, na desestabilização, no militarismo e na guerra.

Na União Europeia persistem todas as linhas de ofensiva e mantêm-se e acentuam-se traços de instabilidade. Uma ofensiva concretizada através de implacáveis ataques aos direitos e condições de vida dos trabalhadores e dos povos, como sucede em França, que tem suscitado manifestações imensas de descontentamento e protesto.

 A par de todo estes processos, agravam - se as políticas de ataque aos direitos conquistados pelos povos das ilhas ultraperiféricas, agudizam – se medidas que provocam maiores assimetrias territoriais e abismais desigualdades sociais.

 É neste quadro que a União Europeia pretende aprofundar as orientações do neoliberalismo, do militarismo e do federalismo.

É neste contexto que as próximas eleições requerem uma corajosa luta em defesa dos direitos dos povos. A complexidade e gravidade da situação internacional coloca em evidência a necessidade de novos compromissos em defesa dos mais pobres e na luta pela justiça social, em defesa da paz e do progresso social. 

Das próximas eleições para o Parlamento Europeu sairá, ou não, a efetiva possibilidade de edificação de um novo rumo para a União Europeia.
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.