O acordo de saída do Reino Unido da U.E.


Assiste-se, com pouca relevância nas notícias regionais, ao Acordo de Saída do Reino Unido - Brexit - como se algo distante fosse e que pouco nos diz respeito. É um erro colossal que só será entendido, na plenitude, quando o Governo e Povo se aperceberem, na prática, da sua influência nos subsídios e apoios de que a região costuma receber. É menos um grande país contribuinte a participar no esforço financeiro do orçamento da U.E..
"O orgulhoso prefere perder-se a perguntar qual é o seu caminho"
Winston Churchill
O madeirense parece que se habituou a esse maná que cai do céu e ignora que, bem ou mal, o que sustenta esta região, sob forma de comparticipação de larga monta, provém dos descontos para impostos dos contribuintes europeus, é parte fundamental numa cadeia de “solidariedade” para um crescimento homogéneo e de regularização do nível de vida na U.E.. Sei que no caso da Madeira, parece interiorizado, de que acham que deve ser usado para enriquecer meia dúzia, criando todo um sistema predatório e hermético que produz 32% de pobres com outros 32% a caminho disso. A solidariedade existe, somos nós que a usamos mal. Somos nós que nos afastamos da Europa com os nossos representantes locais.

É curioso que também vamos para Eleições Europeias, na prática só cria frenesim aos pretendentes a candidatos (por esta altura) a um bom ordenado como deputado europeu mas, é muito mais do que isso, e o Povo deveria tomar consciência da importância da Europa no nosso futuro. Que sirva de exemplo o que conhecemos esta semana, de que caso os mais novos eleitores do Reino Unido tivessem ido votar o resultado não teria dado Brexit. Foram comodistas, o populismo actuou e agora o "desastre" consuma-se. Perderam o comboio, o madeirense que participe na Gnose, lendo, para que não fique também apeado por decidir mal em momentos cruciais.

Fica aqui o texto, em primeira mão, na versão portuguesa para que todos entendam. Os responsáveis políticos ... os irresponsáveis também, deveriam ler calmamente. Os hábitos de leitura ajudam a promover um melhor Governo, uma melhor oposição e uma cidadania activa que se quer Opinião Pública.

Faço notar que ainda ocorrem negociações de última hora, este é um rascunho quase final.

Pode ampliar neste quadrado:            
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.