Soluções para a falência da Thomas Cook?


De outubro 2019 a março 2020 a Jet2 irá ter mais 160.000 lugares de avião para as Canárias.

O governo de Canárias desde cedo reuniu com os empresários, associações, representantes do sector do Turismo e municípios de forma a encontrar as melhores soluções para a crise que se abatia sobre o Turismo do arquipélago espanhol.

Todos foram chamados a dar ideias, todos foram importantes na procura das melhores soluções.

A união que se verificou em Canárias, na busca do melhor plano para combater a falência da Thomas Cook assentou  em 3 pilares:
  • A manutenção do emprego no sector do Turismo,
  • a procura de ligações aéreas,
  • minimizar  a quebra da taxa de ocupação na estação mais importante das ilhas Canárias, o Inverno.

Em Canárias estuda-se um adiamento no pagamento de impostos diretos às empresas afetadas pela falência do Tour Operador, bem como uma medida sobre o deferimento nos pagamentos à Segurança Social para as empresas mais afetadas, por forma a reduzir o impacto negativo da falência e para gerar e manter liquidez nessas empresas.

Outra medida tomada nas Canárias prende-se com a isenção ou bonificação das taxas aeroportuárias, de forma a estimular/ incentivar a economia, na melhoria das ligações aéreas para o arquipélago.

O Governo espanhol irá aprovar na próxima semana uma série de medidas no valor de 300 milhões de euros ao sector do Turismo para apoiar as dificuldades sentidas com a falência do Operador Thomas Cook.

Que fez Portugal e mais concretamente a Madeira?

O Governo português foi célere em disponibilizar uma linha de crédito às empresas afetadas, para que possam manter-se e para que possam cumprir com as obrigações e pagamentos de IVA, por exemplo,  ao Estado.

Estou convencida de que os empresários irão recuperar a totalidade ou parte deste IVA, mas primeiro terão de se financiar.

O Governo português disponibilizou também, através do Turismo de Portugal, um apoio extra para promoção no valor de 2.25 milhões de euros, sendo que meio milhão de euros será para a Madeira, que irá juntar mais 250 mil euros ao valor  e que servirá para apoiar alguns Tour operadores. Parte será afeta à promoção do destino no Reino Unido e na Alemanha.

Que está a ser feito para atrair novas companhias? Que medidas estão a ser tomadas para esbater a perda de 15.000 lugares anunciada pela Jet2 no início da estação de Verão e que irá se verificar já na estação de inverno 2019/20 na Madeira?

Temos cada vez mais camas, mas menos forma de cá chegar. Para bom entendedor, esta notícia complementa o meu escrito ...

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.