Paulo Joker


O sorriso de Paulo Joker será um problema, ao perder a empatia e a confiança vai parecer que goza com a cara de toda gente. É o reverso da medalha, culpa sua. Até o Joker se ria ...

A pequenez do PS revela-se nas escolhas, nas estratégias e nos pensamentos tácitos. O PS não tem escola política e ainda menos de poder. A única escola é da confusão permanente de rumos e escolhas. Falta clarividência e pragmatismo que leve a acções no momento certo por sabedoria e visão. Habituados na experiência dos serviços mínimos, a empreitada de aproveitar a conjuntura favorável e vencer com maioria absoluta apresenta-se como dois pés no mesmo tronco que se rasteiram.

Paulo Joker anda a fazer campanha de Autárquicas, a mesma de Cerdas, e continua sem debitar da sua boca os traços gerais para a sua Governação. Compromissos, porque a fase das ideias acabou. Das raras vezes que tentou, mergulhou. Ao contrário do que pensam, estamos a mês e meio das eleições, consumiram tempo que vai faltar. Quem tem mais a provar e convencer é o novato, gasta sempre mais tempo, até porque as credenciais são fracas. É muito importante a festa, o arraial, o entretenimento mas e Governar? Com quem?

Paulo Joker anda à volta do senhor Sousa e não à volta da Madeira, os focos não saem disto. Parece desconhecer os valores humanos, técnicos e profissionais, quem vale e mexe na Madeira para se envolver com a sociedade civil de forma séria e empática. O PSD-M tem o avanço dos dependentes.

Paulo Joker está a fazer uma campanha desastrosa, está a colher o que semeou nos últimos 5 anos e agora não há divisões no PSD-M, não segurou o eleitorado das desavenças em tempo oportuno. As Europeias foram prova da vitalidade e mobilização daquele partido e já pouco importa os meios, o PS também pode dar boleias mas deixou-se na zona de conforto ... nem aproveita o obscurantismo da CNE.

Paulo Joker estava a ser observado numa expectativa descrente, com o tiro nos pés de hoje perde o crédito e falha na esperança do eleitor. Este é mais inteligente do que julgam, também genuíno ou interesseiro. Paulo Joker, deixe-se de insistir no erro, não pega nem mudando o embrulho, não convence. Antes de dar um passo contaminante aprenda a ouvir de gente experiente. O início marca tudo, são as traves mestras, essas de que estamos à espera para a sua governação. Conhecemos a natureza das pessoas, estão mal certificadas. Nunca toca nos problemas mortais, o que demonstra a dependência e para onde pende a balança do raciocínio. Prefere melindrar os eleitores a caminho das eleições do que tocar nos protegidos.

Cada um faz da sua oportunidade o que entender, o eleitor vota no seu interesse. Atenção, Paulo Joker corre sérios riscos de ser a pior aposta de sempre porque nunca e ninguém teve conjuntura tão favorável. Neste momento é que se está a ganhar ou perder eleições, com factos.

Paulo Joker de tanto evitar gente séria e de esperar pelo momento exacto para fazer a sua jogada, perdeu o seu timing e agora tudo se faz tarde. Agora, obterá duríssimamente mais costas daqueles que evitou e que valem mais do que Costa. Descobrirá com a derrota, finalmente, quem era a salvação ou a construção de uma equipa para ganhar. O senhor Paulo Joker não tem experiência política para gerir uma campanha Regional e Governar a Madeira, o que se passa no pré-eleitoral mostra a sua fragilidade e falta de coragem. Não queremos líderes moluscos, já os temos. Não queremos festas e caridadezinha, queremos Governação, o despesismo com as clientelas encaminhadas para o rendimento das pessoas. Não queremos palavras bonitas e sorrisos, queremos factos palpáveis de crescimento do bem estar. Menos impostos que nos afogam para pagar as elites e os lóbis com que os partidos de poder combinam.

Paulo Joker é surdo, muito surdo, duríssimamente surdo, pneu, porta, as pessoas cansaram-se de avisar com todo tipo de decibéis e fartaram-se. O primeiro resultado foi o das Europeias, escolheu mal e ainda não percebeu essa experiência para corrigir para as Regionais. Insiste no erro, vemos pelo mesmo estilo de campanha, o eleitor naturalmente insistirá na votação.

Tudo isto nada tem a ver com beneficiar o PSD-M, o candidato deve entender que não vai convencer o eleitorado para ser a outra face da mesma moeda que o eleitorado quer rejeitar. Já chegou o Miguel. A Paulo Joker seria perdoada a inexperiência num Governo se significasse mudança real da Madeira e um ambiente mais são. Como não é, não há condescendência e vai morrer na praia. Por exclusiva estupidez. Quem passará a palavra por Paulo Joker, com que credibilidade? Os que não chegam ao povo e este rejeita? O povo não se vai adaptar a si, você é que tem de servir o povo e mais ninguém! De zelar pela causa e coisa pública e não de "ameaçar" à partida com as escolhas.

Lamentavelmente e em minha opinião, resta aos madeirenses pulverizar os votos e que Deus nos acuda no que daí resultar, que mate o monstro e que mantenha rédea curta aos restantes. Enquanto isso, mais importante do que a campanha é o PSD-M preparar os shuttles, o transfer, a viagem para garantir que lhe votam depois de tanto investimento promíscuo com dinheiro obscuro mas certamente público.

Paulo Joker, forma como defraudou vai determinar o fim da sua carreira política porque está, cada vez mais, a dar razão aos seus detractores. Rir, burlar e esconder traz consequências:


Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.