Estropício



A Renovação para políticos:

Para alguns grupelhos da política, é o veículo que se aproveita da saturação da população e do eleitorado para impor uma nova casta de imbecis, desprovidos de experiência política e que pensam primeiro no emprego que podem alcançar por essa via e nada mais … depois logo se vê. Uma Renovação assim construída denuncia-se à partida por causa dos nomes anunciados, porque perante a pergunta sobre o que vão fazer (?) certamente constam uns anos prévios para se adaptar por não terem escola e acharem que o canudo basta. Não conhecem orgânicas, leis básicas, não sabem lidar com uma variedade de opiniões e pressões, ser diplomatas, convergir e trabalhar para todos. Deslumbram-se com o poder.

Seria difícil explicar em poucas palavras mas temos a sorte e o azar de ter experimentado uma Renovação, sorte porque serve de exemplo de como em poucos anos perdem o verniz e mostram o que realmente são, incompetentes e ditadores. Longe vão os tempos em que no arranque de uma Legislatura na ALR havia uma postura complemente diferente para, depois,  gradualmente, se ter tornado pior com gente autoritária que agora, não sendo infoexcluídos, vertem fel pelas redes sociais. Estão furiosos porque o lugar na política é tido como uma posse, algo que lhes pertence e que não é cedido pelo eleitorado por mandatos. Parecem esquecer que representam pessoas mas desancam em todos com uma fúria, falta de educação e total imbecilidade mostrando que se sentem proprietários do lugar enquanto deputado e que se sentem ameaçados. Por isso, vale para aniquilar tudo à volta. Não é para mim, não é para ninguém. Esta ideia de posse nasce do facto da política ser emprego e porque depois teriam que começar uma vida do zero e não foi para isso que o lugar de deputado foi criado.

Renovação para o eleitor:

Renovação para o eleitor não são pessoas, são acções. É evidente que se as pessoas se deixam marcar negativamente poucos acreditarão em mudanças e daí preferirem gente diferente, “nova”, é tipo um mal menor. O problema é que encerra todo um tempo para aprenderem a estar que, basicamente, é uma legislatura e nós, população e eleitores, ficamos defraudados sempre à espera de que algo mude e aconteça mas … marcamos passo. O problema é quando depois de um vem outro mas sempre com todos eles numa sapiência de morte ... por ignorância. Somando anos de estágio no Governo, 4 ... 8 ... nós esperamos. Continuem nos coices às sombras.

Jardim surge com alguma notoriedade, vindo das profundezas de uma travessia do deserto porque Albuquerque torrou todas as palavras de força e acções prometidas, ficou com menor crédito do que Jardim. Façamos um exercício de suposição, imagine que pegávamos em jardim, dávamos uns choques eléctricos e que conseguíamos uma actualização do sistema operativo desta unidade robotizada. Da noite para o dia, modernizava o discurso mas sobretudo encostava os lobbies que nos empobrecem. Trabalhava para o povo e a Autonomia em vez de só mencioná-los para manipular as massas e fazer dívida. Passaríamos a pensar na sua energia e experiência pela positiva, crentes de que mudando a polaridade estaria perfeito. Isto é uma Renovação, o mesmo hardware estável recebe um novo sistema operativo e está pronto para mais uns tempos. É evidente que não estou a sugerir que aconteça, estou a divagar sobre o que será a Renovação que pretendemos. Basicamente queremos que mudem as políticas ajoelhadas aos lobbies e que as oportunidades sejam para todos e não uma luta de facções à procura de emprego.

O fim da Madeira:

Dá-se quando alguns, cansados de tentar mudar, observam que o povo acha que vai durar para sempre esta coisa de viver com o dinheiro que não se tem, pertencendo à Máfia no Bom Sentido. Cada vez mais se subsidia, por exemplo, agora penso que as creches ficarão à espera de 40% do Governo Regional. Da maneira como paga podem esperar que essa medida eleitoralista resulte no encerramento das creches. Agora é só multiplicar os casos ... bastava ver as escolas profissionais ... entre centenas de casos ... ao ritmo da má política de controle e ditadura.
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.