Bailo pesado nas Europeias


1. O que parecia ser um ensaio vai ser um verdadeiro bailo pesado entre nós. Falo das próximas Eleições Europeias. A fénix que agoniza nas cinzas dos escândalos da saúde, na educação silenciada à força e em alguma incompetência que já nos habituou tanto que já ninguém liga, porque de tão normal nem reparamos quase nada. Mas há mais cinzas que enterram a fénix. Por exemplo, as maquilhagens económicas que ajudam ao disfarce. Os donos disto tudo que estavam ficar com a careca destapada. Enfim, uma série de situações que previam alguma tragédia grega para os do costume. Mas nada disso! As eleições europeias serão um ensaio interessante, para vermos novo folgo na fénix renascida, retemperada e aliviada das costas para as outras duas importantes batalhas. E no fim, tudo será como dantes no Castelo de Abrantes.

2. Não admira nada. O deslumbramento que grassa neste reino tem feito das suas. Por um lado, um convencimento maluco que encegueira as hostes. Por outro, as escolhas tendenciosas impostas sem que se uso os elementares meios democráticos. Parece que qualquer coisa serve, seguindo-se religiosamente o pai do «povo superior», que demonstrou noutros tempos e noutro contexto, que qualquer um serve, pois valeu-lhe a sorte ao descobriu que para quem está a habituado há 600 anos a comer e calar servia pouco para contentar. Não quero crer que ainda seja tanto assim. Há alguns sinais que revelam que a consciência da liberdade e o pensamento próprio começam a ganhar algum terreno.

3. As eleições europeias que se avizinham vão dar-nos um bailo pesado interessante. São vários os candidatos, é certo, mas concentremos-nos naqueles que provavelmente serão eleitos. Duas mulheres, Cláudia Monteiro de Aguiar e Sara Cerdas. Uma com uma bagagem invejável nos meandros obscuros da Europa, outra que cai de paraquedas, que a única coisa que tem para nos dizer sobre a Europa na primeira entrevista não passaram de banalidades costumeiras e que tinha um ídolo como referência. É neste contexto que estou para ver o bailo pesado que este emaranhado nos vai presentear.

4. Assim sendo, temos um partido a rir das caricaturas que outro faz de si mesmo. Por isso, preparemos-nos para a festa que aí vem porque vai ser divertido. Agradecemos desde já, porque precisamos desopilar. 
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.