A Saúde abica o PSD-M


Passamos anos, décadas, a ter pessoas visadas por todo tipo de impropérios, num puro insulto sem argumentos, para depois recebermos a dívida escondida. Os que insultaram e usufruíram estão bem. Os outros não e pagam. A escola produziu descendência e nada é como o original, o que significa que as cópias baratas são ainda mais insultuosas, de gosto duvidoso, quando nos tinham prometido outra era. Partiu-se o verniz com a aflição e está tudo à vista. Custa a acreditar que sejam jornalistas ou humoristas a escrever, parece mão de alguém ...
JM 24-03-2019. Que heroísmo! E os exames urgentes adiados?
JM 24-03-2019. Compadrio também no Inquérito?
Na área do poder ninguém enfrenta a má governação porque a sua vida pessoal é maquilhada com cunhas que são satisfeitas. A Renovação desconhece o que é viver com os ambientes que cria, onde nem os serviços comuns funcionam. São todos, nada funciona sem cunha e na Saúde é atroz.

Temos, por estes dias, assistido a agudização da situação da saúde, voltamos a ver alguém insultado por todos os beneficiários de esquemas, mordomias mas sobretudo por muitos dos que passam o tempo de trabalho público no privado. Reuniram em matilha para caçar aquele que é diferente e não compactua. Todos sabemos porque não há controlo biométrico de presenças ao serviço. Não é por acaso que, normalmente, dia de consulta é dia de "seca" ... salvaguardando as boas razões.

Num futuro muito próximo, com a insistência na fórmula que satisfaz lobbies mas não utentes, a Saúde Pública moribunda vai colapsar por exaustão e surgirá a verdade tal como na dívida escondida. De novo, todos os prevaricadores estarão bem e o povo sofrerá as consequências ... e pagará.

Por injustiça da vida, aqueles que não governam mal nem estão em esquemas é que sofrem as consequências. Os prevaricadores "enchem-se" e com isso alcançam a liberdade financeira para poder optar por outros serviços de excelência nos antípodas do que preconizam para a Região. Vão às consultas no continente e no estrangeiro.

Precisamos de ter coragem e apoiar quem a tem porque quando estivermos na "fossa" todos estes vendedores de banha de cobra desistem, vão à sua vida e somos nós que ficamos desterrados e sem solução. Não deixe de apoiar enquanto é tempo.

DN online 23-03-2019
Com o Inquérito Parlamentar observamos alguma comunicação social, a RTP-M e os serviços da ALR, a destacar o que interessa ao poder. É tudo mentira. O médico está louco. O contraditório é inexistente ou descompensado (muito mais tempo para uns do que para outros). Creio, apesar de tudo, que o efeito disto é zero, a população já fez a sua ideia porque tem a experiência do que são os Serviços de Saúde para confrontar com aquilo que o Dr. Rafael Macedo diz, nada mais do que sempre se falou na surdina.

Alguns médicos, desde há algumas décadas que acompanham o poder do PSD Madeira, têm usado da sua posição perante a fragilidade das pessoas com a Saúde para ganhar um estatuto especial que não se submete a regras. O próprio PSD-M tem sentido na pele o monstro que deixou crescer, não consegue implementar políticas de Saúde. Perante a necessidade de colmatar a corrupção, compadrio, contratos obscenos e a destruição da Saúde Pública em benefício da Privada, recebeu nestas últimas semanas a Extrema Unção. Sucede-se a má Governação em alargado número de áreas.

Mais uma vez e desta feita na Saúde, a necessidade de tapar a porcaria, da qual participa, colocou o PSD-M ao lado dos lobbies e longe da população. Como quer comunicar e obter votos? De cabeça perdida não há discernimento, é vê-lo na ALR e no órgão oficial de comunicação ... de sempre. A já longa carreira de não estar a bem com ninguém decente, correcto e profissional, vai levar o PSD Madeira, por este andar, a se cotar abaixo dos 20% nas Regionais. Há muito silêncio cruel louco para actuar. Há muito sofrimento de cara impávida a chorar por dentro. O PSD-M enferma da desumanidade do PSD de Passos Coelho do qual é seguidor. O PSD-M cega, para se vingar do médico Rafael Macedo encerrou temporariamente os exames da Medicina Nuclear. Confundiu o serviço, a disputa laboral e política com os exames a quem não tem culpa e padece mas, logo depois, cinicamente diz-se impressionado com o uso da Saúde para fins políticos. Apetece-me vomitar sobre este cinismo.

Impressionante "desejo" do JM num
comentário "independente". Pena o JM
se reduzir a sorvedouro de dinheiros
públicos para desinformar. A política
a matar o jornalismo credível.

JM 23-03-2019
Estamos em fim de ciclo, de era, estamos na exaustão e na saturação. Sem coragem vamos percorrer o exacto caminho dos radicalismos e extremismos por vingança e para, aparentemente, nos darmos ao respeito. Estamos cansados, nós povo, dos Governos servirem para não se preocuparem connosco mas para usar o poder para benefício das elites dos negócios, das famílias de poder, para esquemas que deixam gorjeta aos políticos. O corporativismo e o sectarismo sente-se tão no controle do sistema que se dá ao luxo de ser até bruto, exagerado, denunciado, sabe que mesmo sendo incompetente e sem razão, tem poder para vencer à bruta. O caso do Dr. Rafael Macedo é uma Causa, a Saúde Pública, a protecção e bom uso dos dinheiros públicos.

Esta situação do SESARAM e o médico Rafael Macedo, por dados concretos e na perspectiva do eleitor, narra-se como Processo Sumário. O médico foi ao Inquérito Parlamentar da ALR para uma emboscada dos Renovadinhos cometendo o "erro" de ser em directo. Se pensam que foram vencedores e que estes dias subsequentes estão a "matar" o Dr. Rafael Macedo, enganam-se rotundamente. O povo tem uma intenção e decisão, assistiu avidamente o directo do primeiro dia para avaliar o Dr. Rafael Macedo, convenceu-se da qualidade da pessoa porque do resto, da podridão da Saúde, conhece bem, nada é novo.

Quem escreveu este texto no JM (recorte ao lado) depreende que todos têm um preço, são lambe-botas e não têm valores nem virtudes. Avaliam a situação do médico pelas realidades que vivem, com certeza na forma como se compuseram os quadros do JM. Isto destrói a imagem global do Jornalismo.

Podem ter consertado uma saída para as elites mas não convenceram o povo, o utente e o eleitor. Por outro lado, ao assumir uma postura de enfrentamento e saneamento do médico denunciador, o GR autorizou tacitamente a que todo e qualquer esquema se faça porque este momento confirma que, por mais grave que seja, resolve-se à força bruta. O médico foi saneado no dia seguinte ao primeiro acto do Inquérito Parlamentar e isso diz tudo sobre a pressa em silenciar. Estava tudo decidido, o inquérito é uma palhaçada. O afastamento do Dr. Rafael Macedo ao segundo dia do Inquérito Parlamentar diz bem que o Governo Regional não tem em conta qualquer esclarecimento para decidir, muito menos de chamar gente imparcial, fazer uma auditoria, reconhecer os apontamentos do OLAF (Relatório da OLAF onde se demonstra corrupção nos dinheiros comunitários). O Governo Regional está no seu direito mas lembre-se que foi acto do Governo e não uma conclusão de todos os partidos na Assembleia Regional. Esta suposta vitória pela força vai ser muito amarga em Setembro.

DN 24-03-2019 "Este Planeta"
Nesta semana, obtive a certeza pessoal de que o PSD-M vai ter uma derrota em Setembro. As pessoas já não toleram mais chico-espertismo, estão saturadas e já vale tudo desde que deixem de ver o PSD proprietário do poder, da democracia e da razão.

Quanto aos médicos "beneficiários" da política ou dos esquemas, lembrem-se que as piores razões que os deveriam ferir não são as invocadas pelo Dr. Rafael Macedo mas o facto dos seus Governantes irem para o continente se consultar. Não é um, dois, ou três, são vários. Digam-me o que significa? Falta de condições, especialistas ou de confiança nos médicos da Madeira? E perante o facto não aproveitam para se queixar e exigir mais do poder?
Se alguns falam demais, outros falam de menos, sobretudo
em matérias importantes na ordem do dia. Em Setembro vamos
escolher um Presidente, não um artista de variedades.
D7 24-03-2019

Quanto aos deputados do PSD-M, quando Inquérito ia a meio no primeiro dia perceberam que não iriam fazer "farinha" com o Dr. Rafael Macedo e mudaram de postura, começaram a inquirir à americana. Eles próprios insistiam na resposta que desejavam para extrair para a gravação um sim ou um não. Estiveram assim Eduardo Jesus e João Paulo Marques, a picar um formulário de acusação e não assumiram a representação do povo que os elegeu para um melhor serviço de Saúde. Registado, em Setembro o povo manifesta-se. Recolheram a matéria básica e forjada para incriminar à bruta o Dr. Rafael Macedo no Processo Sumário.

Nesta exacta maldade de linchamento quero me referir à primeira página encomendada do JM ("Médico vai ser suspenso hoje" 21-03-2019) e uma RTP-M de dualidade (vejam o tempo de cobertura de Rafael Macedo no Telejornal e dos seus acusadores no segundo dia do Inquérito Parlamentar). Percebemos o que é a máfia no bom sentido, é uma composição de interesses onde uma mão lava a outra para estarem alguns bem na vida em detrimento do colectivo. O PSD Madeira já só sabe actuar com tudo viciado.

Estados de humor, estaremos a ler bem?

JM 23-03-2019
DN 24-03-2019

















Finalizo observando que a Europa está a mudar mas a Madeira não. Vai acabar o tempo da política em função de como se suga mais da UE para construir uma região improdutiva e maioritariamente pobre. O contribuinte europeu está irritado, se topar o que se passa na Madeira, à conta dos prevaricadores, estarão os mais frágeis expostos às consequências. Por isso deve actuar já. Se chegarmos a esse tempo de severa punição da Europa, perante a loucura Governativa, nem invocando a Saúde se teremos atendimento. O que responder, depois de décadas a não elevar a condição humana e onde pontifica o estado da nossa Saúde, se a opinião Pública não se manifesta? Não seja conivente nem cúmplice. Vamos limpar ... pela nossa saúde ...

O Dr. Rafael Macedo encarna de Robin dos Bosques e simboliza a vontade contida da população para limpar o PSD Madeira do poder. O Dr. Rafael Macedo quer pôr o serviço público a funcionar. O PSD que governa miseravelmente a Saúde denota encosto aos esquemas estabelecido. O utente conhece os serviços e as histórias. O eleitor quer os serviços a funcionar e não o seu uso para guerras e, da contenda, só pode sair um Dr. Rafael Macedo a vencer junto dos utentes e do eleitorado porque defende o que lhes importa. O impressionante é ser um médico a fazê-lo e não os eleitos para representar e Governar. Há muita gente com as ideias trocadas. Boa sorte para o futuro profissional do Dr. Rafael Macedo, a Madeira deve estar grata e mostrar que valeu a pena.


Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.