Pelo chão da dor nos lugares da condição humana

Cada dia é dia de encontrar Deus debaixo dos telhados feitos calvários da dor e do sofrimento. Por isso, vou procurar-Te nos recantos das casas e nas enxergas moldadas aos corpos vencidos pela doença e pela limitação da idade. Vou abeirar-me da Tua Presença sofrida em cada pessoa dos nossos doentes, que neste mundo são sempre a nossa razão de ser da inquietação perante o sofrimento.

Diz Santa Teresa de Ávila que «É bem verdade que nada é impossível àquele que ama». Por isso, só mesmo o amor para ministrar o remédio para a dor, para a ruptura do despojamento da morte...

Invoco a ajuda-nos do Deus de toda a libertação a sermos compassivos e misericordiosos na alegria e na esperança que se deve transmitir nestes lugares do limite incompreensível desta vida. Faça-nos instrumentos de esperança e de coragem para que o mundo se ilumine cada vez mais e melhor, com a pequena luz que a nossa fé e o nosso modo de ser podem sempre fazer bilhar.

Apesar de tudo, alegria e boa disposição, são valores essenciais que nos são pedidos e são sempre luzes que devemos acender em cada encontro e em cada momento da nossa vida, mesmo que essas ocasiões às vezes sejam profundamente amargas.
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.