O valor do conhecimento

O mundo, o nosso mundo nos tempos que correm, está cheio de vias que pretensiosamente levam ao conhecimento (a “gnosis” raiz da palavra grega que nos levou ao feliz “GNOSE”, que elegemos para nomear esta via de comunicação, o nosso site). Obviamente, que desejamos não ser apenas mais um meio para botar palavra só porque sim ou estar alojados na profusão de caminhos comunicacionais que têm servido demais para propagar a mentira, a calúnia e toda a falsidade de ideias que “a tirania da comunicação” (Ignacio Ramonet) hoje nos tem proporcionado. Hoje cumpre-se cruelmente essa antevisão de Ramonet.

O espírito da Gnose, surge no espírito da cidadania política no sentido da participação na vida da cidade, exactamente como se define no conceito de política. É um movimento de consciência, uma brisa inquieta de denúncia profética, um vendaval de liberdade contra o pensamento único e ação pela expressão escrita do desejo que a justiça e o bem comum prevaleçam.

Um dos sinais terríveis da confusão comunicacional levou à vulgarização da opinião, poucas vezes fundamentada e não raras vezes injusta contra as pessoas e as instituições. É o tempo dos perfis falso, onde falta a coragem e a fidelidade a compromissos e aos valores fundamentais da sã convivência. A Gnose dará o seu contributo para que a comunicação seja esclarecida e cada leitor faça a sua síntese, procedendo depois de acordo com o resultado do seu pensar e querer. A má vontade gera péssimas vontades. A Gnose não deseja que tal acontece.

O espírito da Gnose será sempre irrigado pela paz, pelo respeito dos valores e ideais democráticos e pelo sonho de que é possível uma sociedade mais fraterna e igualitária (no sentido das oportunidades iguais para todos). Daí que neste caminho seremos contra a indiferença e contra todas as maquinações que levam ao descarte e ao marginalizar pelo intolerância, o egoísmo e a ganância desenfreada que comandam o mundo e a vida nos tempos que correm.

A Gnose é um caminho de diálogo. Por assim dizer, como o espírito do mistério que sopra onde quer, em quem quer e quando quer, permitiremos que o espírito da Gnose nos anime pela vontade do diálogo aberto a todos e a todas as dimensões da humanidade. Nada de tabus, pelo diálogo é que vamos, pela luz que inspira a “heterodoxia” ao gosto do pensador e filósofo Eduardo Lourenço.
José Luís Rodrigues
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.