Pragmatismo


O pragmatismo é o caminho mais curto para se atingir um objectivo, é a abordagem directa que elimina as subjectividades que nos atolam para não chegar a sítio algum. Todos nos somos naturalmente diferente e são as nossas opções enquanto seres humanos que nos definem como tendo crédito ou não, estando aptos ou não, ter o perfil para ... ou não.

O Gnose preocupou-se com nem tanto ao mar nem tanto à terra, situa-se no bom senso de pelo conhecimento e pela harmonia levar o maior número de pessoas a participar num conhecimento a benefício de todos.

Eu não sou um Zen e gosto de profissionalismo, é a melhor maneira de me conquistarem, detesto salamaleques que cobrem as faltas de atitudes e resultados profissionais como que por serem queridos já não se pode avaliar.

O pragmatismo é por vezes cruel e não raras situações deve ser acompanhado de bom senso. É na divisão que somos fracos para vencerem os piores. Precisamos de consensos e denominadores comuns e por eles esquecer atritos que duram há muito num espaço que é pequeno. dividir para reinar é frase antiga e não é por acaso que alguns alimentam os maus ambientes, a agressividade e os ataques. Enquanto neles estamos não discutimos o essencial onde eles vão perder. Precisamos de acordar porque vamos muito tarde, o Gnose é um contributo.

Encontrem o Vosso denominador comum com os outros e vamos debater o bem estar possível para todos.

O pragmatismo tem a inteligência de se aproximar do mais básico sentido popular para não se tornar um elitismo e assim congregar todos. Uma pessoa pragmática é aquela que tem uma condução mental que reduz todas as situações ou fenómenos à sua condição essencial, naturalmente livre de acessórios supérfluos para que seja útil, rápida e eficaz e assim produzir resultados práticos. Acho que é uma forma do conhecimento se tornar útil. Até parece a antítese do Gnose, muita gente com pensamentos a debater e que não leva a nada. Provar o contrário é o nosso objectivo para obrigar os outros a terem uma agenda de objectivos. 

Vamos ter influência e eliminar os caminhos errantes da Madeira. O pragmatismo na Madeira é nenhum por falta de objectivo, competição e selecção natural. Alguém conhece os desígnios da nossa Região pela boca Governantes ou Políticos? Não. Basta ver a confusão que dá algo tão essencial com um hospital com tantos interesses que estão em primeiro lugar.

 "Ofende os bons quem poupa os maus"
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.