Jardinices


Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo, Eça de Queirós
O Dr. Alberto João Jardim, é uma figura incontornável da história da Madeira. Penso, acredito mesmo que ele e o seu "reinado", nunca serão um rodapé na história da Madeira, ao contrário do de Miguel Albuquerque. As "jardinices" abundam em ambos, mas AJJ cria tanta empatia, como MA não. Aliás, é mais fácil uma pulga criar empatia com a água, do que MA com o povo que diz governar.

Em Coimbra, histórias sobre AJJ são muitas. Não de bom estudante, mas de bom "vivant". O estudante dos copos, dos cigarros e de bater cartas. Também dos namoros, das serenatas, uma espécie de mini-playboy da altura. Não é conhecido pelos estudos e nenhuma ideia peregrina o fez elevar-se em relação aos seus. É apenas conhecido por ser boémio e pela estroiníce

O Sr. Carlos que me arrendou um quarto e que trabalhou na “Democrática”, tinha inúmeras histórias dele, como também de outros para contar. Eram uns "patuscos, uns velhacos" dizia “embevecido”. AJJ caiu-lhe no goto. Mas sempre me disse, estávamos já nos anos 80 do século passado, que AJJ não devia ser grande coisa como governante. "O Luis sabe, o Alberto João não conhece o valor do dinheiro. É tudo para os amigos e para gastar. É mesmo Barão". Ou " O Alberto João é engraçado. Mas para governar ...vai ver. Parece [agora] bem, mas tenho dúvidas. Mas é boa companhia, é muito engraçado".
E o Sr. Carlos, tinha muita razão.
Como nenhum político acredita no que diz, fica sempre surpreso ao ver que os outros acreditam nele, Charles de Gaulle
AJJ trouxe para a Madeira e os seus sucessivos GR´s a vida boémia de Coimbra. Tal como em Coimbra, rodeou-se de companheiros de “route” tão boémios como ele e ainda mais insensatos, descerebrados. Sempre imaginei uma reunião do GR com AJJ, na quinta “das Angustias “ com muitas cartas, piadas brejeiras e whiskey servido em bules e chávenas de chá, com muita fumarada de charutos no meio.

Quando descobriu as ideias do pior primeiro ministro português, o Sr. Silva, o descalabro na Região acelerou. AJJ sempre repetiu que a Madeira trilhou um caminho próprio. O que é muito errado. Tal como Cavaco no continente, com dinheiro fácil, a betonização da vida económica da região aconteceu. Literalmente. O fácil "betão", que só deixa custos de manutenção, riqueza curta, contra a ausência dos serviços que rendem sempre receitas a médio e longo prazo.. 
Fortunas fáceis apareceram, monopólios surgiram, a corrupção grassou, o mérito foi esquecido, os ordenados dispararam, o crédito bancário subiu, obras inúteis fizeram-se, concursos públicos à medida foram feitos….

No meio de tanto disparate, quer um, Cavaco Silva, quer outro, AJJ, acertaram em algo. No continente a Expo, o CCB, a ponte Vasco da Gama, o Oceanário, a conclusão da A1, as outras vias rápidas imprescindíveis entre capitais de distrito ( mas isto tudo gera receita para o estado). Na Madeira a via rápida, algumas vias regionais e claro o aeroporto…Alberto João Jardim ( o único que gera receita, porque o resto, o GR paga para ter receita !!!! ).  
Ambos acertaram com a Sra corrupção. Que aumentou. O novo anormal, normal.
O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta, Maquiavel
Mas tudo isto serve para informar que AJJ, como boémio que é, referiu numa entrevista ao JM no passado dia 1 de Julho, que a dívida da Madeira não existe, porque chegou à conclusão que " a Madeira não tem de dívida”. 

Não é para rir, é sério porque AJJ acredita, acho, piamente no que diz. Aliás, também foi ele que teve a peregrina ideia de pedir ao falecido historiador Alberto Vieira, de procurar nova dívida do continente à Madeira com as putativas taxas que o reino cobrava mas não entregava !!! ( como desde sempre com Lisboa ).
Em Coimbra, quando os estudantes batiam as cartas e quando se jogava aos tostões, quem ganhava, pagava rodadas atrás de rodadas até gastar o que tinha ganho, ou então, as contas faziam-se "nunca" ( código de conduta do estudante ).
Por isso, AJJ aplicou na Madeira essa regra de trabalho, Os "bardinos" como ele, podem fazer dívida, criar dívida, porque ou tudo é pago entre eles, ou ninguém paga nada. Se seguirmos o que AJJ diz, ninguém tem dívida à banca, ao fisco... nada. Aliás, nem o continente teria dívida. AJJ foi educado a saber que alguém pagava as dívidas criadas por ele. Por isso praticou muito bem no GR o que conhecia. Criou 2 dividas, uma já paga por Guterres e a outra, que tem também como co-autor Miguel Albuquerque, Calado (que também não querem pagar). Para todos eles, a dívida não existe e nunca existirá. Porque a permitem, porque fazem-na,porque os seus precisam. E eles também. 

Tenho pena do sapateiro, do camiseiro...de AJJ. Porque ele pede mas não paga. Escolhe, leva camisas, sapatos, calças, casacos, charutos, bebidas ...mas não reconhece a vída que criou. Porque é precisa. E como é "precisa", a dívida não existe. Mas alguém paga o que AJJ consumiu e muitas vezes estragou... o camiseiro, o sapateiro,  o ..... aqueles onde deixou o calote.

Falta apenas que AJJ concorde publicamente com Cátio Baldé. Este diz, que o "pagamento de luvas" só é crime à luz da "cultura europeia". Na Madeira, bem .... não é crime, É, parece, um pilar da vida do regime.. Não é ?


Os ingleses

Pregaram-nos uma partida enormíssima. Obrigarem quem regresse a UK vindo de qualquer ponto deste país, a fazerem quarentena é ser ruim. Porque não existe critério na escolha daquela lista, porque afinal eles estão mais “envirusados” que nós, porque como leio no "The Scotesman" a Escócia não é a Inglaterra, ... Mas muitos de nós, já nos esquecemos daquele jogo que se realizou no arquipélago " turista RUA...vai para a tua terra"  muito por culpa do GR,  em Fevereiro, Março deste ano. O GR é hipócrita ? Ou apenas é desleixado ?. 
Errar é humano. Culpar outra pessoa é política, Hubert H. Humpherey
Na Madeira, viu-se de novo, a qualidade de quem nos governa. Estão sôfregos por uma noticia "boa", não criada pelo regime e pela sua central de desinformação. Por isso não leram as letras miúdas do que o governo britânico disse e atiraram os foguetes, fizeram a festa e apanharam as canas.
Mas sobretudo mostraram também, que a palavra SOLIDARIEDADE não existe para este ou outros GR´s. O discurso de MA e Jesus foi confrangedor. Podiam e deviam estar satisfeitos, pela benesse que lhes cairia nas mãos, esse euromilhões turístico, porque nada fizeram, nem uma "cautela" compraram para o terem. Uma palavra solidária para o resto do país devia ser dada. Mas o umbigo falou primeiro.

Li,vi Eduardo Jesus dizer que o GR vai tratar com o governo inglês, pedir explicações…. . Como se o GR da Madeira e o governo de Sua Majestade, fossem iguais, "Sutor, ne ultra crepidam" ou "não vá o sapateiro além da chinela". Outra jardinice, outra cretinice. Pode ser bom para consumo interno, mas é ridículo para todos.
Penso aliás, que a região não precisava de dinheiro e Jardim ficaria melhor na história, se ele tivesse pensado melhor e tivesse criado o ISJ - imposto sobre jardinices. Aliás a Madeira pode criar impostos e tem o IVA nos 22% porque tem que ser. Mas Albuquerque ainda vai a tempo.
Encontrou-se, em boa política, o segredo de fazer morrer de fome aqueles que, cultivando a terra, fazem viver os outros, Voltaire
Marcelo Rebelo de Sousa

Chega á região com um presidente de GR e um GR de candeias às avessas com ele, brutos no discurso, bons no egoísmo. Será que Marcelo os irá ter na comitiva ? Querer bem queriam e as fotos deles com alguém bem quisto para o povo, seriam sempre um "must". Mas não acredito que Marcelo os queira ao pé. Talvez apenas no aeroporto. Mas que vão levar uma reprimenda entre a saída do avião e o carro, vão levar, se chegarem à fala com Marcelo, entre paredes.
"Bem querer e bem fazer, muito importam para bem viver" . Mas este GR , não quer, não faz.e não deixa viver. 

Mas pode acontecer que algum Gouveia do regime, use o Photoshop e coloque alguma cabeça na foto ou numa selfie com Marcelo. Como se fazia no tempo de Estaline na USSR. 
[ Aliás sobre os Gouveias deste regime, tenho pena, mas a menina que disse “fantástico” na reportagem da TVI, que disse que em Lisboa no aeroporto anda tudo "sem segurança" ( "esqueceu-se" que todos lá dentro estão documentados com OK negativo nos testes") pertence ao clube J e o “inglês-americano” que disse que escolheu a Madeira porque os testes eram gratuitos porque noutros lugares custavam 30, 40, 60, 120,…pois é ... pois é. Viva o psd-M.]

Porque são tantas as jardinices....
A culpa, também é do Miguel
O mentiroso compulsivo, Jim Carrey 
( este nunca fez mal e é bem mais divertido )
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.