Olhááá sondagemmmm. Pró menino prá menina ....



A diferença entre um estadista e um demagogo é que este decide pensando nas próximas eleições, enquanto aquele decide pensando nas próximas gerações, Churchill
A lei dos grandes números, LGN, determina que a “média aritmética dos resultados da realização da mesma experiência repetidas vezes, tende a aproximar-se do valor esperado, à medida que mais tentativas se sucederem. Por outras palavras, quanto mais tentativas são realizadas, mais a probabilidade da média aritmética dos resultados observados irá aproximar-se da probabilidade real”.

Isto é, quando se realiza uma sondagem, quanto mais vezes as amostras, o número de pessoas que respondem ao inquérito, forem estudadas e responderem, mais o resultado final é óptimo, o que todos intuímos. Mas também, quantas menos amostras se estudarem ou a qualidade delas, a sistematologia utilizada e os instrumentos usados for menor, qualitativamente o resultado final será pior.

As sondagens são como as sardinhas. Existem muitas e para todos os gostos. Umas mais frescas e outras bem congeladas. Mas como elas são interpretadas, feitas e "colocadas" para consumo, diz muito de quem as faz e sobretudo de quem as usa e utiliza ( fins próprios ou para outros ). Pode acontecer até que numa sondagem, num estudo de opinião, mais questões sejam colocadas, mas apenas a mais interessante ( para o meio de comunicação social) seja publicada ou lhe dê mais enfâse.

Serve isto a propósito das recentes sondagens que o Económico da Madeira e o DN-Madeira fizeram em diferentes dias, sobre distintas situações e os resultados a que chegaram.

[ Um aparte: Uma empresa de sondagem é paga para fazer sondagens de acordo com os objectivos determinados por clientes, normalmente órgãos de comunicação social. Ou fazem-nas periodicamente e vendem a clientes. Uma empresa de sondagem, entrega os dados obtidos aos clientes e indica as conclusões chegadas. Mas cabe ao cliente interpretá-las ( uns melhor, outros pior ou outros "puxando a brasa à sardinha" ). ]

Vejamos o quadro comparativo e as imagens, retiradas do DN-Madeira e Económico-Madeira.


DN – Madeira
Económico – Madeira
Jornal Económico
Sobre
Presidenciais
Regionais
Actuação GR
Provocar eleições
18 anos ou mais
Sim
Sim
Sim
Aleatória no sexo e faixa etária
Sim
Sim
Sim
Entrevistas
1220 entrevistas
1072 validadas
415 entrevistas

327 entrevistas
Não responderam
12,1 %
Não diz
Não diz
Tem dúvidas / NS / NR (indecisos)
16%
12,1 %
2,1 %
Como ?
Por telefone
CATI
CATI
Estudo de opinião depositado na ERCS
Sim
Não
Não
Realizada entre
Entre 5 e 18 de junho

( 7 dias )
Entre 8 e 11 de junho

( 3 dias )
Entre 1 e 2 de junho
( 1 dia )
Erro máximo
4% em 95% da amostra
4,9% em 95% da amostra

Total (inclui indecisos)
100 %
100,1%
Não se consegue calcular


Analisando o quadro e as imagens, tira-se de imediato as seguintes conclusões:

 1) Ou a Aximage fez um trabalho sofrível, ou o Económico madeira resolveu fazer de estatístico.

 2) A Aximage usou um CATI ( Computer Assisted Telephone Interviewing )  que pode ser tão "bom" ou mau, como a linha de apoio da Meo, Vodafone por exemplo. 

 3) A Aximage fez duas sondagens, em dias distintos, com amostras distintas com intervalos de 10 dias ? 

 4) Igualmente não percebo, se (3) for um sim, o que adianta para a Aximage apenas mais 88 pessoas entre uma e outra sondagem ( 415 / 327 ). 88 pessoas farão a primeira sondagem mais robusta ?

 5) Porque as sondagens do Económico - Madeira não estão depositadas na ERCS ? Não possuem qualidade para tal e sendo assim nada valem ? Ou pendem para um lado e por isso não podem ser depositadas ?

 6) Entre a sondagem do DN-Madeira/Eurosondagem e o E-Madeira/Aximage, percebemos logo o grau de confiança de uma e outra e respectiva fiabilidade.

 7) A margem de erro, não pode ser de 4,9% na sondagem do E-Madeira, exactamente porque a amostra é menor, leis da estatística, para o universo sondado. Por isso, não podem projectar resultados, apenas informar que em x contactos telefónicos, nos dias .., os resultados obtidos foram estes. Tout court. Quando interpretam, estão por sua conta e risco e devem dizê-lo.

  8) Mas se a margem de erro bruta é de 4,9% na sondagem do E-Madeira, nunca a margem de erro após projecção e para aquele número de entrevistas será daquele valor.

O que é preocupante aqui, é a facilidade com que se molda a opinião pública, com pseudonotícias, pseudosondagens, por jornais, Económico-Madeira e JM-Madeira, que dizem no seu estatuto editorial, preservarem a independência jornalística e independência de opiniões!!! Excepto se por independência eles entendam ou queiram dizer "independência ao serviço do regime montado na Madeira" e a "independência editorial" seja substituída por dizer que aprova e está com o regime.

Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir, Churchill.

Mas "voltando à vaca fria" todos estes estudos são preocupantes para Miguel Albuquerque e o psd-M. Por partes:

1)  Como potencial candidato a presidente, MA tem menos votos que a soma dos eleitores recenseados pela Madeira. Mau, demasiado mau.

2)  Para o psd-M não é nada confortável o resultado do Económico-Madeira, porque numa amostragem mínima, usando um sistema CATI, numa situação de pandemia ou crise, situação onde normalmente as pessoas unem-se mais em relação a quem governa, SÓ "recebem" 42,2 % ( menos que o PS a nível nacional ).

3)  Esta sondagem sobre o psd-M, não reflecte o que diz a sondagem sobre a actuação do governo na pandemia. Muitos acham boa a actuação do GR ( 90% ), mas muitos menos não querem votar no psd-M ( 42 % ).

4 ) Importante e esquecido. A maioria não quer o GR causar eleições. Mas é omissa a que seja a oposição a provocá-las. 

5) O GR não é questionado pela sua governação na saúde, no ambiente, na economia, na segurança social, no emprego e parece-me que se assim fosse os resultados seriam muito diferentes

6) Se a Aximagem fez mesmo duas sondagens, a primeira pela actuação do GR na pandemia e a segunda, 10 dias depois sobre intenções de votos, foi esperta. Primeiro perguntou algo que para muitos parece pacifico e depois com o sim ainda bem presente, pergunta sobre quem votaria. Malandrinhos....(perguntam condicionando a segunda volta ).

Por acaso também fiz uma sondagem, porque não quero ficar atrás a estes jornais. A amostra escolhida foi a do cachorro do vizinho, a minha cadela, gato, papagaio e claro aos vizinhos franceses ( 2 ).  Os peixes não consigo perceber. À pergunta se " O GR da Madeira devia ser reeleito" , a) os vizinhos perguntaram-me se mereciam. b) Os cachorros foram jogar à apanhada. c) o papagaio disse-me "olá" e d) o gato ...bem, o gato fez miau. 

Os resultados foram:

        1) os peixes não quiseram responder ( 50% )
        2) os cães, gato e papagaio são os indecisos ( 62,5% )
        3) votei pelos vizinhos e com o meu voto (3 no total ) votamos não  (32,5% )
        4) Conclusão: Resultado final 100 % em que o governo não deveria ser eleito.

Estão feitos. Nem na Coreia do querido líder. 

Tinha-me esquecido de vos falar do porco. Esse parece que se riu nas minhas barbas e não respondeu. Adora a pocilga. Está feito ao bife....e ao presunto.

Olháááá á Sondagennns liiiiiiiiidassssssss, sondagennnnnssss  liiiiiiiidasssssss , Pró menino e prá meniiiiiiiiiiinaaaaaa olhá sondagemmmmmmmmmmm 

Existe magia ...... nas sondagens ou em quem as interpreta e publica ?

It´s a kind off magic, Os Queen


Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.