Um governo de condenados !

Os governos são para fazer bem com o pão próprio, e não para acrescentar os bens com o pão alheio, Padre António Vieira
Os irmãos Metralha
Na História portuguesa o tipo e forma de governo foram diversos e adaptaram-se sempre ás necessidades dos tempos em que ocorriam. De Afonso Henriques, até Marcelo Rebelo de Sousa, passando por Salazar, Costa Gomes, a dignidade, a moral e a ética nos principais órgãos de soberania foram exemplares e nunca foram postas em causa.

Que me lembre e tivesse estudado, existiram más decisões, maus governantes, mas não tivemos nunca, condenados pela justiça ou tribunais a exercerem funções nos principais, ou menores, órgãos de soberania ( câmaras municipais não contam aqui ). Primeiro demitiram-se ou foram demitidos, depois foram condenados. E nunca mais voltaram. 

Tudo isto para dizer, que a Madeira é uma exceção no mundo ocidentalizado e talvez no mundo inteiro. Governo nenhum português, da República ou ilhas, foi alguma vez liderado por condenados, exceção o da Madeira.

Somos governados por pessoas condenadas em Tribunal... Incrível, não é ?  E parece natural, normal, dizer isto e saber disto, escrever sobre isto, tal o estado que o PSD-M e os sucessivos governos que apoiou, fizeram das ilegalidades, ou dos actos criminosos banais na governação. E ter-se condenados pelos tribunais, criminosos portanto à luz da lei, é normal na Madeira, repito. O que não é normal é termos governos e assembleias chefiadas por pessoas honestas, de ficha limpa. 

Miguel Albuquerque, Pedro Calado e Tranquada Gomes (fiquemos apenas por estes nomes) são homens condenados. Os dois primeiros pelo Tribunal de Contas, para já, o terceiro pela justiça portuguesa. Os dois primeiros ainda recebem e pagam multas\coimas pelo que praticaram na CMF e agora são impedidos sistematicamente, no Governo que lideram, de executarem operações duvidosas na ilegalidade e nos benefícios, para o erário público. O terceiro, é condenado pela justiça portuguesa no caso Banif. São respetivamente Presidente do Governo Regional; Vice-Presidente do Governo Regional e Presidente da Assembleia Legislativa Regional. Grandes exemplos a não seguir. Nas escolas da Madeira, as fotografias destes senhores, deviam estar penduradas e num mundo ideal seriam os monstros para os meninos;  "Miguel, Tomásia se não se portarem bem, vão ser levados pelo Tranquada e comidos pelo Calado" 
O melhor governo é aquele em que há o menor número de homens inúteis, Voltaire
Estaremos condenados a sermos governados por estes condenados ? Os irmãos Metralha, ainda tinham graça. Eram sempre apanhados, tinham piada e restituíam aquilo que tinham roubado/levado. Neste caso, nada disso acontece. É banal. E sim, agora acredito na Teoria do Povo Superior inventada por este PSD-M. Mas a superioridade de que falam, não é na postura e no exemplo, é sim nas ilegalidades que sucessivamente cometem, quando são penalizados ou impedidos de as fazer; nos crimes que são praticados, julgados e condenados. E a procissão vai no adro.

São vilões, são criminosos condenados em tribunais. A Madeira não está no terceiro mundo, mas parece um estado mafioso, criminal. Porque è a única região do mundo civilizado ocidental, cujos líderes dos principais órgãos legislativo e executivo, são criminosos, condenados. Uma república de bananas, que estes criminosos querem perpetuar. Existem os narcoestados e para a Madeira querem uma região banana.. Porque só num bananal, se tem condenados a ocuparem os lugares mais representativos. Não falemos nos outros, arguidos, co-arguidos, co-responsáveis e responsáveis, também em cargos de chefia no pantanal do governo de condenados da Madeira. Porque, se fossem todos juntos e levados a tribunal ( e vão sê-lo, uns mais que os outros ), teria a justiça de alugar o pavilhão dos "bomberos" no Funchal e talvez ainda fosse pequeno. 

Diletus
Volto a repetir. Pedro Calado de novo a cometer ilegalidades. 4,5 milhões de euros ultrapassa aquilo que é da sua competência . Mas lá está, são votos que se ganham, boys e girls que se colocam e dívidas que se pagam.
O governo, mesmo quando perfeito, não passa de um mal necessário; quando imperfeito, é um mal insuportável, Thomas Paine
Zona Franca criminal

Um governo chefiado por condenados, tem que ter uma zona franca especializada em atos criminosos, naturalmente. Ou pelo menos de legalidades muitíssimos ténues e que não dê muito nas vistas. Calado pela calada, retirou o Gabinete da Zona Franca, do fisco madeirense e criou um novo Gabinete na sua dependência direta. E isto é interessante, porque se no antigamente o fisco Madeira ainda tinha que dar contas ao fisco Nacional, agora com o novo gabinete, fica tudo calado. Imaginem-se as tropelias que agora se vão fazer. E isto sem ninguém notar. Tudo pela calada(o).

Uma mentira e uma verdade
O DN Madeira publicou esta semana uma mentira e uma verdade. Comecemos então pela verdade: a taxa de desemprego na Madeira está a crescer. Naturalmente. Mas isto não é de agora, já vem a 3 trimestres. Porque foram camufladas e agora já não dá para esconder. Aliás, sendo o emprego sazonal, no trimestre coincidente com o Natal e Ano Novo, por exemplo, onde a Região está em alta em termos turísticos e de maior consumo público, o desemprego não baixou. A evidência da falência da politica de empregabilidade do governo regional.


Mas, o DN-Madeira publicou uma mentira. Não foi de propósito, foi rebuscada no boletim trimestral do GR e tirada do resumo: contas públicas melhoraram 6% em relação ao período homólogo do ano passado. Ora bem, é uma mentira. Para o Governo PSD-M, as contas públicas, têm vários modos de serem calculadas de acordo com o gosto, o momento e o alcance ( e do jogo do esconde-coloca-esconde ). Vejam-se as diversas formas de as contabilizar e aquele boletim, parece ás vezes o boletim da Maria:
1) Contas públicas = contas merceeiro  (receitas - despesas )
2) Contas públicas = ... + entidades indiretas (por exemplo, institutos)
3) Contas públicas = ... +....+ sociedades privadas públicas ou semi-públicas ( sociedades desenvolvimento, por exemplo )
4) Contas públicas = ... + … + … + câmaras municipais
5) Contas públicas = … + …. + …. + …. + empréstimos e obrigações bancárias
6) Contas públicas = … + …. + …. + …. + …. + juros
7) Contas públicas = … + …. + …. + …. + …. + …. + amortizações
Precisamos de homens bons e íntegros na gestão pública e não de contabilistas quase falidos metidos a pseudo intelectuais contadores de história..., Anónimo
Sendo um governo cujas contas são trabalhadas por condenados, arguidos, na mira da justiça, o natural é que o governo, faça contas de merceeiro ou criminais. É simples. Bastante simples. Basta eleger o que se quer para maquilhar e esquecer-se do que foi varrido para o canto. Este governo criminoso é juiz em causa própria, é o seu próprio TOC e ROC. Devem ser os mesmos métodos contabilisticos e de trabalho que Joe Berardo, usa.

Ao ler aquele boletim, dei-me a isso, fiquei confuso, confesso. Percebi que as regras contabilísticas foram obliteradas, tal como foi vulgarizada a lei do Estado Português que define como estas contas são feitas. Está lá apenas o que interessa. O resto....bem o resto são as tais surpresas e bónus escondidos, que elevam substancialmente a divída escondida da Madeira e a falência da gestão financeira e contabilistica deste (des)governo. São contas de condenados, são contas ilegais, são contas mentirosas. Aliás. são mesmo é contas fantasmas. 

Em resumo, o que temos não é um Governo do Povo, para o Povo e pelo Povo. É uma choldra de governo. São condenados aqueles que o gerem. São corruptos, porque corrompem, no mínimo, as esperanças futuras dos madeirenses e o seu espírito. Sem apelo e com agravos.


Do barbeiro de Sevilha, Fígaro (ou vigaro?)

Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.