Os governantes deFRAUDAM


Porque é que o cidadão comum para obter emprego tem que fazer provas de tudo, do que é, do que foi, da sua formação e idoneidade, nalguns casos até lhe vigiam o Facebook, observam as amizades que tem. Os políticos saltam por cima disto tudo?

Eu concordo com a avaliação. Para todos! Justa! Sem compadrios! É confrangedor verificar que os funcionários menores, com menos responsabilidades, têm mais provas para dar do que as suas chefias. 

Podemos ter um filho de papá que seja uma nulidade, passa pela escola e universidade privada. Muitos com curso superior de farra têm os país a dizer um dia "acabou". Regressam à terra, metem-se na política indo à boleia de um cabeça de lista sonante. Recebem um prémio de lealdade com um jeito para ter emprego. Por ser inútil vai saltando de emprego para emprego, ninguém decente o quer. Aproveita o tempo livre no emprego para frequentar todos os cursos proporcionados pelo poder. Que brilhante currículo não terá o inútil. Para arrumar isto tudo e porque o que importa é o ordenado que aufere, ainda poderá ter num tacho completamente díspar da formação, qualquer que seja. Não será esta a fórmula de sucesso da incompetência?

Depois deste quadro, que já é indecente, descobrimos que nós funcionários "provados" vemos chefes reprovados com o dinheiro de todos nós. Ou porque fazem concursos à medida ou porque se aproveitam da informação privilegiada para fazer negócios paralelos, controlados de princípio ao fim através do cargo que ocupam.

O assunto do dia é a Patrícia Dantas, muito mau e só há um caminho, a demissão, se quiser ter o mínimo de decência. Esta situação segue-se de outra que há tempos soubemos, a de que a Vice Presidência usa de um esquema de saco azul para melhorar os ordenados dos seus mais altos funcionários. Foi nesse dia que percebemos porque é que nalgum tempo a vice-presidência não dava um rendimento atractivo e se preferiu a privada. Agora percebe-se como é que já vale a pena com o ordenado base, o saco azul e vamos lá ver o que se descobre no futuro com os ajustes directos e a orientação de negócios em causa própria. Os cheques para tudo e todos, para empresas, são para amigos e interesses pessoais?

Os nossos políticos estão a minar a democracia da Madeira, os eleitores não acreditam em ninguém. Tenho muita pena que as Regionais não tenham o mesmo quadro legal das Autárquicas, se tinha, o povo tomava conta disto. Estamos sinceramente esgotados de tanta porcaria. A política, o cargo público, o tratar da vida de todos era um acto nobre. Agora é uma podridão que a maioria rejeita. São os políticos da área do poder que fazem os extremismos, saturam o povo.

Tivemos em breves horas uma amnésia estratégica como defesa da "árvore" e dos adversários políticos que desejam um candidato espalhado antes das Regionais, e uma senhora que desde uma pequena ilha, com uma economia viciada, num pequeno organismo promotor de empreendedorismo a participar numa MEGAfraude.

A cidadania activa vai ter que começar a pensar em como resolver, a bem da democracia, o que fazer com estes actores políticos? Já que há selos de origem para tudo, que tal instituir o selo da FRAUDE?
Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.