Quanto vale um madeirense ?

 

Procurem ser pessoas de valor, em vez de procurarem ser pessoas de sucesso. Porque o sucesso é consequência do valor, Einstein

Há quase 46/47 anos, a minha professora de Ciências da Natureza do 1º ciclo no Dondo, Angola, dizia-nos, à turma, que o ser humano, o Homem, era constituído por um conjunto de elementos químicos e o milagre que era, para mim e muitos, que Deus, para outros a evolução da Natureza, conseguisse fazer e transformar oxigénio, hidrogénio, carbono, …. num ser vivo.

Tenho a ligeira percepção, de ela dizer que esses elementos, podiam ser encontrados, falo de 1974, numa loja qualquer de produtos químicos e que aquilo tudo não custaria mais de 100 Escudos ( angolanos ).

Em 2013, a Real Sociedade de Química no âmbito do Festival de Ciências de Cambridge, tentou calcular esse custo e fê-lo usando o actor Benedict Cumberbatch como modelo.

Li esse estudo quando passei por lá e em resumo, recuperando as minhas notas, parece que 99 % do corpo humano é constituído por Oxigénio, Hidrogénio, Nitrogénio, Cálcio e Fósforo. O resto serão elementos que tornam o Homem “rico”: como  Cobalto (20 átomos ), Crómio ( 30 átomos ), Potássio Tório ( 0,0000001% de nós ), Estanho  (0,00007% ), Zircónio, Nióbio, Samário (tudo isto em quantidades ínfimas e que pouco valorizam as contas ), Cádmio (tóxico, mas que aparece no nosso corpo porque ingerimos plantas ), Selénio ( muito importante para os homens porque ajuda na “fabricação” de espermatozoides ) …….Vanádio, Estanho, Cobre, Manganésio, Molibdénio......

São cerca de 59 elementos e muitos ninguém faz a mínima ideia o que fazem, mas o que é certo é que lá estão. Provavelmente nesta altura estarão a dizer que se assim é, devíamos estar a voar porque o Homem seria demasiado leve e “gasoso”. Mas se pensarmos que Oxigénio e Hidrogénio juntos formam água …o peso aparece e a forma acontece.

As lições foram aprendidas: querer não é poder. Chorar não é pedir. Sofrer não é aprender. Dizer sim nem sempre é aceitar. Preço não é valor, Julio Machado

Em resumo, a Real Sociedade de Química, chegou à conclusão que Benedict Cumberbatch, seria feito com mais ou menos, 100 000 £ actuais de produtos e já com os custos de mão de obra e IVA incluídos (porque isto de fazer mal as contas só na Madeira ).

Isto leva-me a pensar o que custaria o madeirense médio. Benedict Cumberbatch, tem mais valias. É actor, faz belíssimos filmes, ganhou 1 a 2 óscares, ….. ganha bem e fruto do seu trabalho, do seu mérito, se existisse uma bolsa de valores humana, a sua cotação estaria talvez nos 1 000 €, 10 000€, 100 000 € a grama, kilo, ….

Mas e o madeirense?

Façamos contas simples e tiremos variáveis desta equação. Somos todos bonitos, mesmo os “gajos” do (des)GR ( arghhhhhh ) e os monopolistas (urghhhhhh ) que sobrevivem apenas porque são mais “amigos” da cambada que é o (des)GR. Tiremos o factor idade desta equação e o factor Saúde….vamos supor que seja boa, mesmo que muitas daquelas abéculas  do MdesGR, MER e MG nos tirem muita (já lá iremos).

Para fazer diferença, resta aquela massa esquisita e esponjosa, cerca de 1,2 Kg que temos entre as orelhas. Poirot chama-lhe as células cinzentas. E é isso que faz a diferença no "custo" do madeirense e faz a mais valia do madeirense. Como a mais valia que faz uns humanos serem melhores que outros, com maior valor NO mercado.

Por isso, quanto custamos, nós os madeirenses ?

Esta resposta tem, claro que ver com a “classe” do madeirense. E na Madeira existem apenas, repito APENAS,  4 classes: O madeirense comum (MC, comunnis Madeiran); o grunho madeirense (GM, angustiae Madeiran); o madeirense de enriquecimento rápido (MER, Madeiran velox divitiis); o madeirense do (des)GR (MdesGR, Madeiran princeps obtusi ).

Anedota de MdesGR, MG ou MER
Sozinhos e autonomamente.

 
Os MdesGR vêem o MC como o tipo que é totó, o “gajo” que está ali para os servir, a quem pode roubar e passar a factura dos dislates que faz. O MdesGR apenas gosta do MC perto da época das eleições e adora-o tanto, que exige que seja seu escravo e às vezes, cria a ilusão que é alimentado por “papas e bolos”, exatamente porque pensa que são todos tolos. Vê o MER como os seus amigos no vasto banquete do consumo de fundos financeiros da RAM e os MG como a sua guarda pretoriana bastarda para pressionar os MC e nestes quem pense diferente. Os MdesGR acham-se donos da madeira e usam e abusam do "quer queiram, quer não", do "aqui quem manda sou eu", de informações falsas... Abusam do poder que os MC lhes deram há uns valentes anos e perpetuaram-se no poder, mentindo, fugindo, enganado, pressionando, desbaratando.... chantageando. Estes homens não sabem o quanto valem, a pobreza franciscana que são. Aliás só andando num mundo virtual e doido que criaram para justificar o seu valor, é que os não faz endoidecer e acharem-se que são bons. Eles e os GM.

Os GM adoram abusar dos MC. Adoram-os tanto que é normal fazerem-lhes ameaças físicas e não só. Os GM são um madeirense atípico. Não pensam. São parvos. São burros. Saõ estúpidos. Tèm óculos especiais, como os bois das cangas. São uns trastes. São uns porcos. Adoram satisfazer os MdesGR. Até dão o “cu e 5 tostões” para os satisfazer. Muitas vezes literalmente. Noutras vezes ficam contentes como os cães, com os ossos que lhes são dados. Muitas vezes são empregados pelos MdesGR e pelos MER para fazerem as sabujices que eles, não querem fazer. Salta bobby, salta....boa .... 

O que possa ser pago não tem valor nenhum. Eis o credo que eu estampo na cara dos espíritos mercantis, Nietzsche

Já os MER adoram usar os MC como a sua fonte de financiamento, via MdesGR e com os MG a apoiar, a pressionar. Os MER são ricos (os MdesGR também quando passam por MER ou aliam enriquecimento rápido a MdesGR), não porque têm células cinzentas diferentes dos MC, apenas porque tiveram o MdesGR a ajudar nos negócios que fazem fora da região quando perdem dinheiro e a financiá-los nos dislates que praticam na região, sempre com o MdesGR sempre a apoiá-los. Existe aliás uma relação biunívoca, um canal de comunicação entre o MdesGR e o MER, porque uns e outros, em chapéus diferentes, adoram passar de uma classe para o outra e com eles levar “espíritos santos de orelha”, para os negócios que os MdesGR promovem, demasiado e à medida para os MER ganharem.

Os MG, MER e MdesGR são classes quase fechadas aos MC. E estes só entram ali se qualidade naturais e básicas, como a competência, o mérito, o pensar diferente, são afetadas, trocando por riqueza imediata e pobreza de espirito. MdesGR, MER e MG pensam que os MC “comem o gelado com a testa”. Que são burros, quando afinal estão apenas a ser enganados. E bem, durante estes anos todos. Também muita por culpa dos MC. 

Todos estas figuras, MdesGR, MER e MG, conhecem o preço de tudo e o valor de nada, como dizia Wilde. Para eles, tudo tem um preço e medem os outros pela bitola dos seus valores, ou seja, nada.

Os MC são os desgraçados. Existem 4 sub-classes de MC, de uma delas, alguns, os tristes, singram para as classes de cima, na outra acabam os rebaixados pelas classe de cima, os que recuperaram ética e consciência.

1) Os que querem ser enganados, É daqui que saem os MG, os poucos novos MER e alguns MdesGR. Vendem o seu eu, por alguns meilhares de euros ou uma carreira na função pública ou empresa dos MER.

2) Os que foram enganados. Acabam aqui aqueles que sendo MG, MER ou MdesGR, perceberam que estavam a enganar os MC. Ganharam consciência, mas muitos ainda pensam ser "prima-donas" e 

3) Os que nunca foram enganados. Poucos, muito poucos na Madeira e eu nunca fui um deles, porque fui trouxa, E não conheço nenhum.

O verdadeiro valor das coisas é o esforço e o problema de as adquirir, Adam Smith

4) Os enganados. O comum dos MC, como eu. Muita vezes fruto da dinâmica em conjunto de MG, MdesGR e MER e como bons madeirenses que são, ainda não perceberam que só unidos conseguem vencer. Que demasiadas vezes não lutam para alterar este estado de coisas e julgam que um "cavaleiro branco" os vai salvar. Muitos infelizmente são preguiçosos, outros nunca conheceram outra coisa que não isto e mais alguns já não têm forças nem paciência para lutar e aturar esta situação. Aliás, nos MC existem infiltrados MdesGR, MG e MER que ainda ajudam mais a manter este situação e que os MC não se unam para para alterar o que está mal. Aliás, muitos tentam ser "mini-playboys", mini-MER, mini-MG e claro mini-MdesGR. A palavra UNIÃO não conhecem e isso torna as coisas difíceis. 

Mas quanto valem os madeirenses ? A tal massa cinzenta que se tem entre orelhas ? Fácil.

MC. pagam os desvarios de MdesGr, são abusados pelos MG e são os sócios invisíveis dos MER (pelo dinheiro de todos que os MdesGR dão aos MER ). Não só pagam, como aturam…. E não existe dinheiro que pague isto, esta paciência infinita…valem muito, bem mais que o seu peso em ouro

MG. Bemmmm o que vale 1,3 KG de massa cinzenta que não funciona ? ZERO

MER. Conseguem e tÊm o que têm com o dinheiro dos outros. Quanto valem ? Muito pela audácia que possuem, menos que nada pelo mérito que nunca possuíram.

MdesGR. Não fazem, só gastam. Usam o dinheiro de todos, para eles. São gente de muitas palavras e estas como as moedas. Uma pode valer por muitas, mas muitas não valerem por uma. E estes   Não valem a porcaria que produzem. São apenas a má moeda, como diz o Sr Silva, nome: Cavaco. 

Quem está a ler este texto, quanto acha que vale ? Em que classe se situa ? E o que vai fazer, para mudar este estado miserável de coisas ? O tempo não está para comodismos... ou então .... estamos encaixados nos MdesGR, MER ou MG. 

Nada que valha alguma coisa pode vir de um ser desunido, Khaterine Mainsfield

Espero apenas é que o (des)GR não saiba disto. Caso contrário, ainda vamos ver os MdesGR a venderem-nos por atacado, os MER como distribuidores e comissionistas, os MG a venderem-se...e nós, os MC, a recebermos impostos para pagarmos sobre as nossas mais valias. Mas esperem, não é isso que acontece agora ?

Os dados.

A DREM. vulgo Direção Regional da Estatística Mentirosa, adora inventar os seus números. Normalmente as coisas "não são como pensamos", mas como eles querem que pensemos. Mas isto não é uma novidade. Somos sempre os melhores nas contas, de sumir, claro. Nem novidade é as "alminhas" da Saúde dizerem que tudo vai bem, no reino da desgraça. Mas finalmente percebemos o que quer a Saúde ao inventar números. Não é para tranquilizar a população, nada. Apenas é, para que quem nos queira visitar, os turistas, terem uma ideia errada do que aqui se passa. Por isso Pedro Ramos e a Saúde na Madeira escreveram o que escreveram na press-release de 4f passada. Mais uma vez volto aos meus apontamentos. Para a Saúde da Madeira e responsáveis, outros dados sobre a Covid que não deles, são "prejudiciais para a dinâmica do sector de turismo da madeira". Está tudo dito.  Mas fiquemo-nos por estes números.

Índice de transmissibilidade de Portugal, Rt, do Covid (dados Instituto Ricardo Jorge, INSA )

Região Norte:0,72

Região Centro: 0,63

Lisboa e Vale do Tejo: 0,68

Alentejo: 0,73

Algarve: 0,79

RAA: 1,02

RAM: 1,15

OBS

1) dados para a semana até 28 Fevereiro, Para a semana até 7 Março, na Madeira os valores esperados são idênticos, mas sempre acima do 1,1. Para o restante território português descidas e RAA fica abaixo do 1. 

Men At Work - Who Can It Be Now?


Share on Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário

Pedimos que seja educado e responsável no seu comentário. Está sujeito a moderação.